Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Agere reduz tarifa de resíduos a mais de 70 mil consumidores
Estado norueguês aguenta crise e paga salários dos trabalhadores

Agere reduz tarifa de resíduos a mais de 70 mil consumidores

Gaivota da Islândia passa inverno em Famalicão

Agere reduz tarifa de resíduos a mais de 70 mil consumidores

Braga

2020-01-22 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Factura da Agere vai ser menor para muitos clientes já a partir deste mês. A empresa municipal introduziu alterações ao cálculo da tarifa de resíduos urbanos.

A administração da Agere - Empresa de Águas, Efluentes e Resíduos de Braga garantiu ontem que mais de 70 mil consumidores vão ver reduzida a sua factura mensal na componente da tarifa de resíduos urbanos.
Na próxima segunda-feira, dia 27, a Câmara Municipal deverá aprovar a alteração do tarifário do serviço de resíduos urbanos, resultante de orientações da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), entidade que definiu novas regras às entidades gestoras, impondo uma componente fixa e outra variável no cálculo das tarifas.
O tarifário de resíduos da Agere, que não era alterado desde 2014, estava definido por escalões de consumo de água, diferenciado entre consumidores domésticos e empresariais e pela periodicidade de recolha dos lixos (diária e não diária).

A partir deste mês, continua a diferenciação tarifária entre consumidores domésticos e não domésticos, mas o tarifário é formado por uma componente física de disponibilidade e uma componente variável, indexada ao consumo de água.
O valor da componente fixa é de 2,979 euros para os consumidores domésticos, ficando isentos os consumidores abrangidos pelo tarifário social.
Os consumidores não domésticos têm uma componente base de 42,060 euros, pagando os do regime geral, nomeadamente instituições particulares de solidariedade social, apenas 2, 979 euros .“Na prática, uma família que consumisse mais de 10 m3 de água passava automaticamente para o escalão superior, independentemente de serem 11 ou 15 m3, e isso fazia com que a taxa de resíduos a pagar fosse praticamente o dobro. Com este novo tarifário, ao consumir 11 m3 é apenas facturado esse valor”, explicou ontem o presidente do conselho de administração da Agere, Rui Morais.

Este responsável adiantou que com a aplicação simples das regras impostas pela ERSAR, o tarifário de resíduos sólidos poderia registar aumentos superiores a 100%, algo que não acontecerá, já que Agere minimizará o impacto “através da aplicação de descontos. “Estes descontos serão diferenciados pela tipologia dos consumidores domésticos, não domésticos e tarifa social, e pela sua localização tendo em conta se estão em zonas urbanas ou não urbanas”, esclarece Rui Morais.

Para os consumidores domésticos em zonas não urbanas o desconto é de 42%. Já os consumidores não domésticos com estabelecimentos com áreas até 100 m2 em zonas urbanas têm desconto de 45%, ao passo que os mesmos nas zonas não urbanas descontam 75%.
Os estabelecimentos com áreas entre os 100 e os 200m2, localizados em zonas não urbanas beneficiam de um desconto é de 45% da componente base da tarifa.
A factura do mês de Janeiro já incorporará os novos valores.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho