Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Agro: Ministro lança campanha pelos produtos nacionais
Expectativa pelo anúncio dos reforços assegurados

Agro: Ministro lança campanha pelos produtos nacionais

David Carmo dá passos firmes rumo à recuperação total em dois meses

Agro: Ministro lança campanha pelos produtos nacionais

Braga

2010-03-14 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

O ministro da Agricultura desafia produtores, industriais e distribuidores para um programa conjunto de promoção dos produtos nacionais de qualidade. O apelo de António Serrano foi feito na visita à Agro.

O ministro da Agricultura quer ver mais produtos nacionais nas prateleiras dos supermercados. Para que isso aconteça, Manuel Serrano anunciou ontem, de visita à Agro - Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação, que pretende ver concretizado, até meados deste ano, uma campanha de promoção dos produtos nacionais de qualidade, envolvendo produtores, industriais e distribuidores.
Reduzir as importações e aumentar as exportações de produtos alimentares é a palavra de ordem do Ministério da Agri-cultura, Desenvolvimento Rural e Pescas como contributo para o “equilíbrio das contas públicas”.
António Serrano entende que “é possível reduzir as importações na área alimentar porque temos muitos produtos de qualidade”.
O que não existe, na opinião do ministro, é organização na distribuição, pelo que aposta “num plano de intervenção rápido no sentido de sensibilizar a população para os produtos portugueses de qualidade”.
O titular da pasta da Agricultura reconhece que, em tempos de crise, “as pessoas olham mais para o preço”, mas confia no sucesso da campanha de promoção dos produtos portugueses para a qual as várias entidades do sector já se mostraram dispo-níveis para um projecto que “interessa a todos'.

Concertar produção e distribuição
'Estamos a discutir o modo de aproveitar a distribuição para promover os produtos de qualidade portugueses, colocando-os, por exemplo, numa área própria perfeitamente identificados como portugueses para que o consumidor perceba o que tem à frente e possa comprar português em detrimento do que vem do estrangeiro', afirmou António Serrano, no final da visita à Agro.
Em declarações aos jornalistas, o ministro da Agricultura explicou que vai “ouvir várias entidades para definir um programa conjunto que possa ajudar num processo de concertação entre a produção e a distribuição e que contenha mecanismos de intervenção que ajudem o produtor português a escoar a sua produção ao melhor preço'.
Para António Serrano é importante 'monitorizar o que se passa nesta cadeia produtiva', salientando que o problema se coloca a nível português, mundial e europeu, tendo já sido abordado no Conselho Europeu de ministros da Agricultura.
'Não queremos que quem produz seja aquele que tem mais dificuldade em obter o retorno do seu investimento a um preço justo', defendeu o ministro da Agricultura.

Exportar qualidade

Para o ministro, a internacionalização da agricultura portuguesa passa pela exportação de produtos de qualidade para mercados com capacidade para pagar um 'preço prémio'.
Porque 'Portugal, um país pequeno, não tem condições para exportar em grande escala”, tem de de “apostar em produtos de qualidade e em países com segmentos de mercado que aceitem qualidade e estejam dispo-níveis para pagar um preço mais alto'.
O vinho, onde foi feita uma marca conjunta, associada ao país e dirigida ao consumidor internacional, deve servir de exemplo para outros produtos como o azeite ou o arroz.

Último dia com concursos pecuários

A 43ª Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação encerra hoje, às 19 horas. No último dia da Agro merecem destaque o XXII Concurso Nacional de Raça Barrosã e o Concurso Pecuário de Raças Autóctones, que decorrem no período da manhã.
O programa de animação da Feira conta, às 15h30, no auditório do Parque de Exposi-ções, com um espectáculo da dupla “Quim Roscas e Zeca Estacionâncio” e, às 16h00, no recinto exterior, do grupo típico e desgarradas “Os Amigos do Martins”.
Miguel Corais, administrador executivo do Parque de Exposições, expressou ontem a expectativa de manter o número de visitantes da edição do ano passado.
Na sexta-feira, com a realização do espectáculo de “Augusto Canário & Amigos”, a organização da Agro obteve uma boa bilheteira, tendo conseguido “a melhor das sextas-feiras das últimas edições”.

Agro a caminho de Angola

O Parque de Exposições de Braga (PEB) e a Exponor promovem, possivelmente ainda este ano, uma feira de produtos agrícolas em Angola.
Este é o resultado mais imediato do protocolo de cooperação assinado ontem entre o PEB e a Associação Empresarial de Portugal, numa cerimónia realizada no âmbito da “Agro 2010”, a que assistiu o ministro da Agricultur, António Serrano.
Através do protocolo, o PEB, dada a experiência acumulada na organização da Agro, colabora no processo de internacionalização que a EXPONOR está a desenvolver em Angola através da organização de uma feira conjunta naquele país, dirigida ao sector da agricultura.
Nunes de Almeida, vice-presidente da Associação Empresarial de Portugal, adiantou que esta cooperação poderá ser estendida a outros mercados, nomedamente a Moçambique.
“Vamos contrariar uma tendência negativa no sector das feiras nos últimos dois anos”, sublinhou Nunes de Almeida.
Vítor Sousa, presidente do conselho de administração do PEB, salientou “a abertura a parceiros estratégicos” como a Exponor, numa “concertação de esforços e de mais-valias tendente a valorizar ainda mais os certames em perspectiva”.
O ministro da Agricultura elogiou a “aliança de esforços das duas entidades numa altura de dificuldades”.
António Serrano salientou que “este é um passo muito significativo que está em completa sintonia com o trabalho desenvolvido pelo Ministério da Agricultura”.
O governante deu conta de um plano de acção para que Portugal esteja devidamente representado nos grandes certames internacionais de forma coerente, organizada e estável nos próximos anos.

Probasto e Tractorave ganham troféus Joaquim Nunes Cruz

A representação da Associação de Desenvolvimento Rural de Basto (Probasto) ganhou o troféu Joaquim Nunes Cruz para o melhor stand na área coberta da Agro.
O júri do concurso, constituído por representantes do Parque de Exposições de Braga, Associação Comercial de Braga e Associação Industrial do Minho atribuiu o prémio de melhor stand no recinto exterior à empresa Tractorave, empresa importadora de máquinas agrícolas. O stand da Probasto faz a promoção do património e de alguns produtos dos concelhos de Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Mondim de Basto e Ribeira de Pena.
O mel certificado, o vinho e compotas são algumas das produções locais em destaque na edição deste ano da Agro.
Margarida Gomes, coordenadora da equipa técnica da Probasto, disse ao ‘Correio do Minho’ que o objectivo da presença na Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação é sobretudo a divulgação do património e dos produtos licais da região de Basto, embora se possam também adquirir algumas produções locais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho