Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Altice Forum Braga acolhe Centro de Vacinação Covid-19
Caminha vai partilhar memórias da Páscoa

Altice Forum Braga acolhe Centro de Vacinação Covid-19

Lista B ao Conselho Geral apoia recandidatura do actual reitor

Altice Forum Braga acolhe Centro de Vacinação Covid-19

Braga

2021-02-23 às 14h00

Redacção Redacção

Durante uma visita ao local, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, salientou que há medida que forem chegando mais vacinas “haverá capacidade para amplificar a estrutura”.

O Centro de Vacinação COVID-19 está desde esta Terça-feira, 23 de Fevereiro, a funcionar no Altice Forum Braga. Nas próximas oito semanas, serão vacinados cerca de 19 mil Bracarenses com mais de 80 anos ou com 50 anos e patologias associadas.

Durante uma visita ao local, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, salientou que há medida que forem chegando mais vacinas “haverá capacidade para amplificar a estrutura”.

“Gostaríamos que este processo fosse mais célere, mas estamos dependentes da disponibilização de vacinas. Se entretanto chegarem mais vacinas e for possível acelerar o cumprimento desta fase, seguramente que, mesmo a nível nacional, será possível avançar para a vacinação da população em geral e atingir a imunidade de grupo que todos desejamos”, afirmou Ricardo Rio no final da visita que contou com a presença do director executivo do ACES Braga, Domingos Sousa.

Sobre as condições de acesso ao espaço, o Autarca referiu que todas as situações estão salvaguardadas. “Temos circuitos para pessoas com mobilidade reduzida, são também disponibilizadas cadeiras de rodas e existem, inclusivamente, acessos mais directos às zonas de vacinação. Uma pessoa sem mobilidade pode vir, em transporte privado ou de ambulância, sendo-lhe administrada a vacina no veículo que se fizer transportar”, explicou.

Ricardo Rio esclareceu que, nesta fase, o processo de vacinação está concentrado num único local, mas defende uma descentralização há medida que o Plano de Vacinação for avançando. “Deverá haver condições para que tudo decorra de forma descentralizada, mais próximo de cada um dos territórios, seja nos Centros de Saúde ou mesmo nas Juntas de Freguesias em articulação com o ACES”, sustentou.

O mais importante, defendeu, é que exista “transparência para que a população se sinta confiante em todo o processo”. “Da mesma maneira que temos acesso ao número diário de infectados, o mesmo deveria acontecer às vacinas” frisou.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho