Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Alto Minho injecta 5,34 ME na economia
Câmara avança com construção de campos de treino junto ao Cidade de Barcelos

Alto Minho injecta 5,34 ME na economia

‘Alcaide’ puxou por Tamila na piscina de Maximinos

Alto Minho injecta 5,34 ME na economia

Alto Minho

2021-01-16 às 07h30

José Paulo Silva José Paulo Silva

CIM do Alto Minho tem abertas candidaturas de micro e pequenas empresas a incentivos a fundo perido. Através do Programa de Apoio à Produção Nacional, autarcas querem alavançar investimento de 12 milhões de euros.

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho disponibiliza 5,34 milhões de euros, a fundo perdido, para projectos de investimento de micro e pequenas empresas da região. Sete avisos de concurso para acesso aquele fundo, no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN), foram ontem abertos, estimando o presidente da CIM, José Maria Costa, que os incentivos às empresas dos sectores industrial e turismo alavanquem um investimento, nos próximos dois anos, entre 10 a 12 milhões de euros.
O autarca do Alto Minho relevou a oportunidade dos avisos que estão abertos até ao dia 26 de Fevereiro, numa altura em que muitas das empresas estão com a sua actividade limitada por causa da pandemia, podendo aproveitar a conjuntura para se capacitarem.
“O nosso interesse é que estes 5,4 milhões de euros, que vão ser colocados à disposição do território, sejam todos tomados através de bons projectos. É uma oportunidade importante para as micro e pequenas empresas apostarem na capacitação, transformação dos processos de comercialização, melhorar ferramentas digitais, visto que este formato tem cada vez tem mais expressão, e na internacionalização”, sustentou José Maria Costa.
A taxa de incentivo é de 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade e de 30% para os restantes, a que pode acrescer uma majoração de 10 ou 20 pontos percentuais em função do sector empresarial a que se refere a candidatura e do mérito de cada projecto. Por estarem incluídos no Programa de Apoio à Produção Nacional, os apoios não são reembolsáveis, ou seja, as empresas beneficiárias não terão de devolver a verba atribuída.
“Este programa vai ser gerido directamente pela CIM do Alto Minho. A avaliação das candidaturas será feita CIM do Alto Minho”, esclareceu José Maria Costa, anunciando para o dia 22 de Janeiro uma sessão de esclarecimento, em formato online, para os interessados neste sistema de incentivos.
Este programa de apoio ao investimento de micro e pequenas empresas será também divulgado através das associações comerciais, industriais e outras entidades da região alto minhota.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho