Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Ano letivo arranca em Famalicão com confiança e responsabilidade
UMinho junta-se à Fundação José Neves para potenciar o acesso à formação

Ano letivo arranca em Famalicão com confiança e responsabilidade

Casa da Ciência tem nova oferta pedagógica

Ano letivo arranca em Famalicão com confiança e responsabilidade

Vale do Ave

2020-09-14 às 13h13

Redacção Redacção

Autarquia investe 3,7 milhões de euros nas escolas.

Em Vila Nova de Famalicão está tudo pronto para acolher os cerca de 15 mil alunos, nas escolas do concelho. Neste ano tão atípico, por consequência da pandemia, o presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, deixou palavras de confiança e responsabilidade, garantido que a autarquia em colaboração com as escolas, as associações de pais e a comunidade, num “enorme trabalho em rede, estão a fazer tudo para que o ano corra bem”. O autarca falava durante a conferência de imprensa de lançamento do ano letivo 2020/2021, que decorreu na sexta-feira e que contou também com a presença do vereador da educação, Leonel Rocha.

No total, a autarquia já investiu neste ano letivo cerca de 3,7 milhões de euros, sendo que a grande fatia do investimento se refere, naturalmente, a obras de requalificação e melhoramento das escolas.

“Neste momento, não há nenhuma escola que esteja sob a tutela do município, que esteja a precisar de obras urgente”, afirmou Paulo Cunha, salientando que, entre 2019 e 2020, foram adjudicadas cerca de três dezenas de obras, e estão, neste momento, em concurso público oito intervenções.

Para além do investimento na infraestrutura escolar, o município investe anualmente 1,8 milhões de euros em transporte para os alunos, assegurando a universalidade da gratuitidade dos passes desde o ensino básico ao 12.º ano.

A oferta das fichas de trabalho, os lanches saudáveis e a fruta escolar são outros dos investimentos do município.

Para além disto, a autarquia garante ainda assistentes operacionais nas escolas acima do rácio nacional. “Neste momento, temos 516 assistentes, quando a norma nacional exige 452 para o nosso número de alunos. São mais 64 funcionários”, referiu o vereador Leonel Rocha.

Paulo Cunha destacou “o trabalho em rede como decisivo para termos mais capacidade de resposta e mais serenidade na preparação deste novo ano letivo, que tem sido um desafio tremendo e imensuravelmente maior que nos anos anteriores”.

Apesar da confiança e otimismo demonstrados, o autarca apelou à responsabilidade e consciência de todos. “É preciso que cada um de nós tenha consciência e seja responsável pelos seus atos, porque há uma dimensão aleatória medonha”.

“Tem de haver atitudes responsáveis e cuidados de todos. E aqui surge a frustração de quem fez tudo para que fosse um enorme sucesso, mas há fatores que não dependem de nós e isso só assevera o cumprimento das regras, não podemos entregar à sorte”, pediu.

Também o vereador da Educação, destacou o trabalho em rede e de proximidade, que se “intensificou em tempos de pandemia”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho