Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
António Salvador: “Há ambição e o céu é o limite”
Município de Guimarães apresenta estratégia de Inteligência Urbana 

António Salvador: “Há ambição e o céu é o limite”

Município de Fafe mantém aposta na segurança rodoviária nas freguesias do concelho

António Salvador: “Há ambição e o céu é o limite”

Desporto

2020-09-18 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

António Salvador não definiu objectivos concretos para a nova época, mas falou na ambição de lutar pelo triunfo em cada um dos jogos.

António Salvador abordou, ontem, em entrevista à NEXT, vários temas da actualidade do Sporting Clube de Braga, entre os quais as expectativas e objectivos que o clube tem para a nova temporada. O presidente dos Guerreiros do Minho lembrou que a última época, perante todas as contingências que foram vividas pelo clube, fazendo a transição para as metas que o clube pretende alcançar na temporada 2020/2021.

“Tivemos uma boa época no ano passado, perante todas as adversidades e contingências. Para este ano prometemos continuar a trabalhar e pedimos aos jogadores que continuem a trabalhar de forma séria, guerreira e, acima de tudo, com responsabilidade por aquilo que é vestir a camisola do SC Braga”, lembrou António Salvador, para logo apontar os objectivos dos bracarenses para a nova temporada, que se apresentam ambiciosos, apesar de não os definir concretamente: “queremos entrar em cada jogo para lutar pela vitória. Isso estes jogadores vão fazer, não tenho dúvidas. No fim fazemos as contas e vemos onde queremos jogar. De certeza que vamos conseguir alcançar os objectivos que este clube está habituado a alcançar. O céu é o limite. Temos ambição e por isso a nossa mentalidade é a de trabalhar para conquistar a vitória em cada jogo”.

O presidente dos arsenalistas abordou ainda a contratação de Carlos Carvalhal, a sua primeira opção desde o início, e também da construção do actual plantel, que considera de grande qualidade e muito equilibrado: “Temos um grande plantel, muito equilibrado. Só saíram dois jogadores, um que jogou sempre (Palhinha) e outro que só foi jogando na segunda fase da época (Trincão), depois da saída do Sá Pinto que, inclusive, queria dispensar o Trincão. Recusei e disse que era impossível dispensar um dos maiores talentos do futebol mundial. Reforçamos com jogadores de grande qualidade”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho