Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
António Salvador: “Carlos Carvalhal é uma aposta ganha”
Autarca de Viana do Castelo participou no Seminário sobre Infraestruturas no âmbito do PRR

António Salvador: “Carlos Carvalhal é uma aposta ganha”

Famalicão atribui apoio extraordinário de 318 mil euros às IPSS do concelho

António Salvador: “Carlos Carvalhal  é uma aposta ganha”

Desporto

2021-01-19 às 10h30

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

"Mesmo os sócios e os nossos adeptos se revêm naquilo que é o Carlos Carvalhal como treinador deste clube."

CM: É um presidente que tem tido o mérito de lançar treinadores, feito que culminou com a venda de Rúben Amorim por 10 milhões de euros… o segundo treinador mais caro do mundo…Um feito inédito numa época em que conseguiu um caso único no panorama mundial: vendeu dois treinadores!  
AS: Foi uma época atípica. Começámos com um treinador no início da época, depois veio outro. Entretanto, entrou o Rúben Amorim a meio. Interinamente, tivemos mais dois treinadores e mesmo assim isso só prova o grupo de jogadores extraordinários que o SC Braga tem, de grande carácter e de grande profissionalismo. Só um grande grupo de trabalho é que poderia aguentar tantos abalos como os que teve ao longo da época passada. A prova disso foi o grande trajecto que fizemos no campeonato e na Liga Europa. Conseguimos um terceiro lugar muito importante, ganhámos a Taça da Liga. Fizemos uma campanha fantástica na fase de grupos da Liga Europa e, mesmo com todos esses problemas, o grupo foi ultrapassando as dificuldades, juntamente com a estrutura que todos os dias acompanha de forma permanente.  
CM: Mas alguma vez pensava vender um treinador por 10 milhões de euros?  
AS: Acredito sempre que se pode fazer algo. Fui buscá-lo, porque o conhecia bem dos tempos que passou cá como jogador, conhecia o carácter dele e a forma de pensar, portanto acreditava que no futuro podia ser um grande treinador. Já quando era jogador lhe dizia isso. Quando assinei contrato com ele disse-lhe que teria de ficar com uma cláusula de 10 milhões de euros e ele riu-se, não acreditava que algum dia isso seria possível. O facto é que isso foi uma realidade.
CM: Desde que é presidente mudou de treinador a meio da época em várias ocasiões. Ao todo, o clube já conheceu 19 treinadores. Com qual se identificou mais?
AS: O importante disto tudo é realçar a grande qualidade dos treinadores que trabalharam no SC Braga e perceber onde é que hoje eles estão a trabalhar. Lembro-me que, na época passada ou há dois anos, na Liga dos Campeões estavam alguns treinadores que tinham passado pelo SC Braga. Isso é que acho que é importante realçar. A sua qualidade, para onde foram e o que estão a fazer hoje em dia. A estabilidade que o clube lhes deu, a aposta que foi feita neles e a qualidade que eles têm e o que têm demonstrado.
CM: Algum deles foi um erro de percurso?  
AS: Nunca me arrependo da contratação de ninguém. Houve alguns que tiveram mais sorte do que outros, mas nem sempre aquilo que nós decidimos é bem decidido. Já cometi muitos erros ao longo destes 18 anos, mas também só erra quem decide e, felizmente, tenho tido a sorte de ter tido ao longo deste tempo profissionais a trabalhar comigo que vivem este clube com muita paixão. Isso tem ajudado muito ao crescimento deste clube.
CM: Apesar de tudo, admitiu, na apresentação de Custódio, ser frustrante todos os anos ter de preparar novos treinadores…
AS: Obviamente que é muito mais difícil para um clube ter de refazer, todos os anos, um plantel e também uma equipa técnica com o intuito de manter sempre o nível lá em cima. Agora, se houver estabilidade, ao longo dos anos, as coisas ficam mais fáceis. Gostaria de ter cá os treinadores durante vários anos. Temos hoje, aqui, o Carvalhal que é alguém que já cá esteve. É um treinador que conheço há muito tempo e sei o quanto ele gosta deste clube e desta cidade. Tomara eu que ele possa estar cá muitos anos, espero que tenha muito sucesso connosco. Tenho a certeza que vai ter.
CM: Carlos Carvalhal é um treinador bracarense com ADN do clube. É uma aposta ganha?
AS: Sem dúvida, conheço-o há bastante tempo, sei o que ele sente por este clube, sei a paixão diária que ele coloca no seu trabalho e, tal como se tem visto, desde o início da época até hoje. É, claramente, uma aposta ganha. Na Liga Europa, esta foi a segunda melhor classificação de sempre na fase de grupos. Na I Liga, estamos nos lugares da frente e há que continuar a trabalhar. Independentemente da competição, o nosso grande objectivo é sempre o próximo jogo. Se nos focarmos no próximo jogo e se o vencermos, chegaremos ao fim com os nossos objectivos alcançados.
CM: O que é que lhe pediu quando se sentaram para assinar contrato?
AS: Foi muito simples. Pedi-lhe para criarmos uma equipa muito forte, que tenha um sentimento de união e de paixão por este clube. Que façamos de cada jogo uma final e que dêmos tudo para vencer sempre o próximo jogo. É isso que temos feito. Tem havido uma excelente sintonia entre toda a estrutura e o Carlos Carvalhal tem feito um excelente trabalho. Mesmo os sócios e os nossos adeptos se revêm naquilo que é o Carlos Carvalhal como treinador deste clube.  

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho