Correio do Minho

Braga,

- +
Aposta na ciência aberta beneficia investigação
Mais quatro anos de Miguel Alves como líder do executivo de Caminha

Aposta na ciência aberta beneficia investigação

Ricardo Soares chama atenção para a motivação extra do Condeixa

Aposta na ciência aberta beneficia investigação

Braga

2021-10-14 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Há 20 anos que a UMinho iniciou uma “aposta correcta” na ciência aberta, uma opção que e tem contribuído para o desenvolvido das comunidades científicas e do próprio sistema científico - defendeu ontem o pró-reitor Eugénio Campos, na 12.ª ConfOA.

“Para a Universidade do Minho, é gratificante verificar que a aposta que há 20 anos vimos fazendo no acesso aberto e na ciência aberta se revelou correcta ao ter contribuído de forma significativa para o desenvolvimento das nossas comunidades científicas e do próprio sistema científico”. As palavras são de Eugénio Campos, pró-reitor da UMinho, que falava na sessão oficial de abertura da 12.ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (ConfOA), que decorre até amanhã.
O pró-reitor notou ainda que “no domínio da ciência aberta, a colaboração entre instituições e entre países tem estado na origem de saltos qualitativos”. E apontou que o facto de esta conferência reunir tantos participantes, dos dois lados do Atlântico, confirma que “a cooperação entre as instituições e estas comunidades tem ainda elevado potencial” para crescer.
Também Cecília Leite, do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), realçou que esta conferência demosntra que “esta parceria” entre as entidades organizadoras se tem vindo a conso- lidar e a crescer. “A quantidade de trabalhos a apresentar nesta edição denota a importância do tema pata todos os investigadores portugueses e brasileiros, mas também de outros países lusófonos, como Moçambique que tem crescido muito neste âmbito”, referiu.
Do vasto programa destaque ainda para conferência inaugural, com Frank Miedema, presidente do Programa de Ciência Aberta da Universidade de Utrecht. Já o encerramento vai contar com a intervenção de António Sampaio da Nóvoa, embaixador de Portugal na UNESCO, que teve um papel essencial no desenvolvimento das recomendações da UNESCO sobre ciência aberta, um documento vai ser aprovado em Novembro, na reunião anual daquele órgão.,
São mais 150 os trabalhos de investigação que vão ser apresentados ao longo dos três dias da ConfOA, realçou Eloy Rodrigues, director dos Serviços de Documentação e Bibliotecas (SDB) da UMinho. ‘Ciência Aberta: Diversidade, Inclusão e Sustentabilidade’ é o tema desta edição, que é organizado pelos SDB, pela FCT e pelo IBICT.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho