Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Apreensão dos pais contrasta com euforia dos filhos no regresso às aulas
Alunos do 8.º e 9.º anos ‘dão vida’ ao projecto-piloto MAPeAr

Apreensão dos pais contrasta com euforia dos filhos no regresso às aulas

Roteiro artístico celebra 25 anos do Grande Prémio de Literatura DST

Apreensão dos pais contrasta com euforia dos filhos no regresso às aulas

As Nossas Escolas

2020-09-18 às 06h00

Isabel Vilhena Isabel Vilhena

Foi um misto de emoções ontem no regresso às aulas. Novas regras, novas preocupações, mas há também uma vontade imensa de voltar à escola, rever os amigos, os professores, mas, sobretudo, que tudo corra bem!

Apreensivos e receosos de que as escolas voltem a encerrar. Este era o sentimento que dominava os pais que ontem foram levar os filhos à escola para o ‘primeiro teste’ de ensino presencial, em contexto de pandemia de Covid-19.
“Senti-me um pouco aflita quando vi um aglomerado de pessoas junto ao portão da escola, o que não deveria acontecer. Apesar desta situação, temos que ser positivos e acreditar que vai correr tudo bem”, contou Carla Lopes, mãe de uma aluna do 6.º ano da Escola Dr. Francisco Sanches.

O distanciamento social e a higienização das mãos são as grandes preocupações das mães que, apesar de todas as recomendações em casa e na escola, temem que “as coisas falhem”.
“Eles são muito pequenos para entender e cumprir à risca todas estas regras. Vamos aguardar para ver o que acontece nos próximos meses”, afirmou à reportagem da Antena Minho/ Correio do Minho, Liliana Silvestre, mãe de uma aluna do 6º ano. Uma preocupação partilhada por outra mãe, Maria Rodrigues, que se mostrava preocupada com o aumento do número de casos de infecção de Covid-19 e agora o regresso à escola.

Já Vânia Figueiredo, da Associação de Pais da EB 2,3 Dr. Francisco Sanches mostrava-se mais tranquila, mas confidenciou que o seu maior receio é que as “escolas voltem a fechar”.
Neste dia D, os agrupamentos de escolas ‘afinaram as suas máquinas’ com todos as recomendações e mais algumas da Direcção Geral de Saúde (DGS) para que nada falhe, de modo a evitar o contágio com covid-19.
Entradas separadas, horários desfasados, distribuição de máscaras e medição da temperatura dos alunos era este o cenário das escolas do país e Braga não foi excepção.

Cabe ao directores de agrupamento de escolas transmitir a tranquilidade necessária aos pais e alunos que sentem alguma inquietação e aquele “friozinho na barriga”, tendo em conta os tempos que vivemos.
Os abraços e beijinhos aos colegas ficam fora do portão da escola. “É preciso criar novos hábitos e regras para que corra tudo bem”, vincaram os directores de agrupamentos de escolas da cidade.
Os mais de 1,2 milhões de alunos do 1.º ao 12.º ano regressaram ontem à escola para mais um ano lectivo, que começou com novas regras para tentar minimizar os impactos da Covid-19.
No total, são mais de 5.300 escolas públicas e cerca de mil privadas que neste novo ano seguem um conjunto de regras definidas pelo Ministério da Educação e pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) devido.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho