Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Apuramento nas mãos de Varela
Hospital com taxa de ocupação perto do limite

Apuramento nas mãos de Varela

Novo horário da Praça “é para cumprir”

Apuramento nas mãos de Varela

Desporto

2020-11-22 às 18h18

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

Vitória SC venceu em Arouca, no desempate por grandes penalidades, após o nulo no marcador no tempo regulamentar e no prolongamento. Num jogo de sofrimento e com menos um jogador, guardião vimaranense foi o herói ao defender dois remates.

Um triunfo sofrido e nas mãos de Bruno Varela. O guarda-redes foi o herói do Vitória SC em Arouca, ao defender dois remates no desempate por grandes penalidades, depois de um nulo no marcador após os 90 minutos regulamentares e o prolongamento. Frente a uma equipa da II Liga bem atrevida - e que esteve melhor em campo apesar da ausência do treinador Armando Evangelista - em isolamento depois de ter testado positivo à Covid-19 - os conquistadores tiveram de sofrer, e muito - já que jogaram com menos um durante 75 minutos -, para conseguir carimbar o passaporte para a quarta eliminatória da Taça.
Foi o Arouca a entrar forte em campo e quase a marcar logo aos dois minutos, num verdadeiro tiro de Adílio, com a bola a passar a rasar a barra da baliza vimaranense.
Muito pressionante nos primeiros minutos de jogo, a equipa da casa voltou a causar calafrios na defesa do Vitória SC, novamente por Adílio, que cabeceou a rasar o poste da baliza de Bruno Varela, após centro de Bukia.
A equipa de Guimarães demorou a reagir e só aos 33 minutos criou perigo, naquela que foi a primeira oportunidade num remate forte de Bruno Duarte à entrada da área, com Fernando Castro a defender para canto.
Perto do intervalo, a tarefa dos vimaranenses ainda ficou mais complicada, quando o defesa Ouattara foi expulso ao ver o segundo amarelo num lance em que tentou o carrinho e atingiu Mateus Quaresma.
No segundo tempo, o jogo perdeu qualidade em termos ofensivos, apesar de ambas as equipas terem criado uma grande oportunidade: primeiro o Vitória, num cabeceamento desviado de André Almeida e, já nos descontos, quando Blondell teve o golo nos pés, mas foi travado por uma excelente mancha de Varela, levando, assim, o jogo para prolongamento.
No tempo extra, a grande ocasião pertenceu a Maddox, com um remate à barra, mas a falta de pontaria levou o jogo para os penáltis. Na lotaria das grandes penalidades, Varela foi gigante quando ao defender o primeiro remate do Arouca por Leandro Silva e no ‘mata-mata’ o pontapé de Blondell.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho