Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Arquidiocese de Braga vai reduzir em 50% os gastos com energia
MP acusa presidente e vereador da Câmara de Vieira do Minho de prevaricação

Arquidiocese de Braga vai reduzir em 50% os gastos com energia

Ligações indevidas à rede de águas pluviais poluem ribeiro em Viana do Castelo - APA

Arquidiocese de Braga vai reduzir em 50% os gastos com energia

Braga

2022-10-04 às 18h00

Redacção Redacção

Redução dos custos de consumo de energia será possível graças à instalação de 2100 painéis solares

Citação

A Arquidiocese de Braga vai conseguir uma redução de cerca de 50% dos custos de consumo de energia, graças à instalação de centrais fotovoltaicas com mais de 2.100 painéis solares, foi hoje anunciado.

Segundo fonte da arquidiocese, em causa está a criação de uma Comunidade de Energia Renovável, que tem como objetivos a sustentabilidade, a redução de custos e também o combate à pobreza energética entre as famílias carenciadas da região.

Com este projeto, a arquidiocese passará a gerar mais 27% de energia do que aquela que consome.

Além disso, torna-se “energeticamente independente”, pois 45% da energia consumida passa a ser proveniente da central solar.

A Comunidade terá as suas centrais fotovoltaicas distribuídas por vários edifícios, designadamente Arquidiocese, Paço, Edifício de Santa Margarida, Lavandaria, Seminário Nossa Senhora da Conceição, Seminário Conciliar e Instituto Diocesano de Apoio ao Clero.

“Com isto, estamos a ajustar a política de consumo energética aos desafios que o aquecimento global, a escalada de preços da energia e os desafios ecológicos e ambientais nos colocam”, sublinhou a fonte.

Através deste projeto, a arquidiocese poderá apoiar cerca de 650 famílias mais carenciadas, que beneficiarão de uma tarifa social comunitária em média 30% inferior às atuais tarifas de mercado.

No futuro, o projeto pretende incluir outras entidades, como as IPSS, os colégios e outras instituições ligadas à Arquidiocese de Braga.

A criação da Comunidade de Energia está a cargo da empresa Cleanwatts, sem custos para a arquidiocese.

A Comunidade Energética irá arrancar com a instalação dos painéis nos telhados da arquidiocese (produtor-âncora), após o que a Cleanwatts angariará consumidores naquela região, “de preferência com afinidades sociais e perfis de consumo complementares” ao da arquidiocese

Segundo a Cleanwatts, a Comunidade poderá, posteriormente, crescer com a adesão de novos membros produtores, que tenham telhados ou terrenos com capacidade para expandir a potência fotovoltaica instalada.

“O impacto da Comunidade poderá ainda crescer com a introdução de outras fontes de geração renovável, como eólica, biomassa ou hidroelétrica, por exemplo”, acrescenta.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho