Correio do Minho

Braga, quinta-feira

As artes em roteiro pelo Centro Cultural Vila Flor para celebrar 13.º aniversário
Município de Esposende promove formação desportiva integral

As artes em roteiro pelo Centro Cultural Vila Flor para celebrar 13.º aniversário

Leitores da Biblioteca Municipal de Esposende celebraram Natal em festa-convívio

Vale do Ave

2018-09-11 às 06h00

Redacção

Centro Cultural Vila Flor abre temporada a comemorar 13 anos com Manta estendida e programa festivo de música, dança e teatro: Mão Morta, Scout Niblett, Joana Gama, LaBaq, MODS Collective, Olga Roriz, Teatro Oficina e mala voadora.

Ao longo deste mês, assinalam-se os 13 anos de vida do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) em Guimarães, e a reabertura das portas ao público e à arte. A arte em estado original, diverso, contemplativo e inclusivo.
O fim de semana que avizinha a data de abertura do CCVF – 17 de Setembro – dirige os holofotes às artes performativas. ‘A meio da noite’ chegará ao Grande Auditório pela mão de Olga Roriz no dia 15, numa profunda homenagem da coreógrafa a Ingmar Bergman, no ano de celebração dos 100 anos do realizador sueco. A 16 e 17 de Setembro, o CCVF será investigado e desvendado pelo Teatro Oficina, em colaboração com o serviço de Educação e Mediação Cultural, que levará o público a descobrir diferentes espaços ‘Do avesso’, percorrendo labirínticos corredores, recônditas oficinas e outras passagens (quase) secretas que abrigam memórias e preservam saberes das pessoas que aqui trabalham.

A 22 de Setembro, a música faz-se ouvir novamente no CCVF com a estreia nacional do espectáculo ‘Meet Cecil Satariano’ apresentado pelo colectivo português MODS Collective.
Na última semana do mês, a celebração alarga-se intensamente ao teatro com a companhia mala voadora a viajar até ao Grande Auditório do CCVF para apresentar o díptico de peças ‘Moçambique’ e ‘Amazónia’. Com Jorge Andrade ao leme, a viagem começa com ‘Moçambique’ a 27 de Setembro. Jorge Andrade nasceu em Moçambique e veio para Portugal com 4 anos, mas em ‘Moçambique’ (o espectáculo) constrói uma biografia como se tivesse lá ficado. Para tornar credível esta história de vida, ela é imposta à História do país.
Jorge Andrade faz agora parte da História de Moçambique e, através dela, das suas vicissitudes políticas, da sua situação no contexto da Guerra Fria, das tramitações da economia internacional a que o país recém-independente foi sujeito.
O CCVF abre-se, assim, à cidade para, em conjunto, celebrar.

A celebração começou, com entrada livre, num palco de relvado inteiro com horizonte entre o Castelo de Guimarães e o Centro Cultural Vila Flor, um mundo constituído por arte, natureza, arquitetura e interacção comunitária – o Manta – que invadiu mais uma vez os jardins do CCVF no primeiro fim de semana de Setembro para a sua 12ª edição.
Para encerrar esta celebração de mês inteiro, seguimos para a “Amazónia” no dia 29. Nesta que é a sequela de “Moçambique”, o mesmo grupo de personagens resolve ir para outro paraíso – a selva amazónica – para gravar uma telenovela ecológica.
Os artistas procuram financiamento e as personagens da novela também, porque também elas querem empreender: querem civilizar a Amazónia, seguir o caminho universal da civilização. Como não faria sentido tratar um tema ecológico sem ser ecológico, a concretização deste espetáculo assenta na poupança de matéria-prima: o cenário é emprestado, o desenho de luz é reciclado, as músicas são de outros espetáculos da mala voadora, e as cenas são copiadas de espetáculos de outras pessoas. No fim do espectáculo, a mala voadora aterra junto do público para um momento de debate e partilha, numa conversa informal.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.