Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Asilo de S. José registou quatro casos de coronavírus
Famalicão implementa E-paper para desmaterializar processos urbanísticos

Asilo de S. José registou quatro casos de coronavírus

Póvoa de Lanhoso “exemplar” na forma como tem lidado com a pandemia

Asilo de S. José registou quatro casos de coronavírus

Braga

2020-03-26 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Testes de despistagem foram feitos a 60 utentes e funcionários. Direcção da instituição aponta uma “situação muito preocupante”.

Seis dezenas de utentes e funcionários do Asilo de S. José realizaram já testes de despistagem ao novo coronavírus, beneficiando da capacidade do Centro de Rastreio que começou a funcionar na passada segunda-feira, numa parceria entre o Município de Braga, a Administração de Saúde do Norte e a empresa Unilabs Portugal.
Naquela instituição de solidariedade social, que acolhe 106 idosos, foram detectados quatro casos de infecção pelo Covid-19, encontrando-se um utente hospitalizado e outros três em isolamento no lar.
A directora-técnica,?Maria Luísa, alertou ontem para a “situação muito preocupante” em que vive a instituição, que acolhe mais de uma centena de idosos, temendo-se que os testes realizados identifiquem novos casos de infecção pelo novo coronavírus.

Maria Luísa avisa que, caso o número de pessoas infectadas pelo Covid-19 aumente significativamente, poderá não haver capacidade de resposta para manter o acolhimento dos idosos.
A situação vivida no Asilo de S. José, onde trabalham sete dezenas de funcionários, justificou a prioridade para a realização de testes de despistagem ao Covid-19, sendo intenção da Câmara Municipal de Braga e dos seus parceiros abranger um universo de mais de mil pessoas, entre utentes e funcionamentos de lares de terceira idade no concelho de Braga.
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, adiantou ao Correio do Minho que será dada prioridade neste processo aos utentes e aos funcionários que se encontram a cumprir isolamento dentro das instituições, nomeadamente lares de idosos.

O Centro de Rastreio está, em primeira linha, ao dispor do Serviço Nacional de Saúde, mas caso tenha capacidade sobrante (cerca de 150 testes por dia) servirá as instituições de solidariedade social com testes para os seus colaboradores e utentes, cujos custos serão suportados pelo Município.
O primeiro caso de infecção por Covid-19 no Asilo de S. José foi detectado no passado domingo num utente que se encontra actualmente internado no Hospital de Braga. De então para cá, outros três idosos, na casa dos 80 anos, acusaram positivo, mantendo-se em isolamento total.

A prioridade da direcção do Asilo de S. José é testar a totalidade dos utentes e colaboradores do lar, pedido que já foi feito às entidades responsáveis.
A directora técnica realçou a colaboração prestado pelo Município de Braga, aguardando a disponibilidade de mais testes que permitam evitar um cenário de descontrolo no interior da instituição.
Os funcionários do Asilo de S. José, à semelhança do que acontece noutras instituições sociais , estão a cumprir turnos de trabalho semanais, num esforço de limitar a propagação do coronavírus.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho