Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Assembleia recomenda aumento do apoio às refeições escolares
Esposende Autarquia Solidária e Amiga do Desporto

Assembleia recomenda aumento do apoio às refeições escolares

Município de Esposende continua a garantir apoio às Juntas e Uniões de Freguesia

Assembleia recomenda aumento do apoio às refeições escolares

Braga

2022-10-03 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Actualização dos montantes pagos pela Câmara pelo serviço de refeições escolares é recomendada na Assembleia Municipal. Autarcas das freguesias alertam para défice da operação.

Citação

A Assembleia Municipal de Braga aprovou uma recomendação apresentada pelo presidente da União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe de actualização dos valores atribuídos pela Câmara para o serviço de refeições escolares nos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo do ensino básico.
Um aumento de 0,25 cêntimos por refeição é uma das propostas aprovadas, actualização que se deve concretizar logo que o Governo passe dos actuais 2,50 para 2,75 euros o valor pago às câmaras municipais para esse fim, de acordo com entendimento a que já chegou com a Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Por outro lado, a recomendação apresentada por Francisco Silva, o autarca de Real, Dume e Semelhe, aponta para um aumento imediato de 35 cêntimos no que diz respeito ao prolongamento de horário no serviço de refeições.
O presidente da União de Freguesia justificou o aumento de 40 para 75 cêntimos por refeição com a actualização salarial dos trabalhadores afectos a este serviço, bem como dos custos de aquisição de materiais de limpeza.
Na Assembleia Municipal da passada sexta-feira, Francisco Silva aludiu ao “esforço enormíssimo das juntas de freguesia em manter este serviço”, tendo o presidente da Junta de Freguesia de Gualtar, João Vieira, acrescentado que “há risco de encerramento de serviços”, por défice de exploração dos mesmos.

No que diz respeito às actividades de animação e apoio à família (AAAF) na educação pré-escolar, a recomendação considera que o Município de Braga deve disponibilizar recursos os financeiros necessários para assegurar a qualidade e segurança para os alunos com necessidades especiais.
No que diz respeito ao complemento de apoio à família (CAF) para os alunos 1.º ciclo do ensino básico, o autarca de Real sugeriu que seja realizado um acordo idêntico ao das AAAF, de forma a uniformizar os valores a cobrar aos pais e encarregados de educação em todo o concelho.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho