Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Associação de apoio a deficientes visuais assinala 25 anos até Dezembro
Casais reforça aposta na industrialização e pretende contratar dez trabalhadores

Associação de apoio a deficientes visuais assinala 25 anos até Dezembro

PSD confirma 13 candidatos a Câmaras do Minho

Associação de apoio a deficientes visuais assinala 25 anos até Dezembro

Cávado

2021-01-20 às 07h00

Miguel Viana Miguel Viana

Consolidação do projecto CAVI é o grande desejo da Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga, criada a 19 de Janeiro de 1996.

A Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga (AADVDB) assinala os 25 anos de existência até ao mês de Dezembro.
A associação nasceu a 19 de Janeiro de 1996, mas a situação de pandemia impediu que a festa se realizasse ontem. Por essa razão, a direcção da AADVDB entendeu que as comemorações se devem estender durante o presente ano. “ Os nossos 25 anos não são comemorados como pretendíamos devido à pandemia, que nos está a preocupar muito. Nem um bolo de aniversário fizemos, sáo assinalamos com mensagens nas redes sociais, até porque estamos em confinamento e nem utentes temos nas nossas instalações”, afirmou Domingos Silva, presidente da AADVDB. O dirigente associativo manifestou, no entanto, o desejo de que a data seja devidamente assinalada em 2021. “Não sabemos como a situação de pandemia vai evoluir, e por isso não temos uma data prevista para assinalar o aniversário, pelo que estendemos as comemorações até ao fim do ano”, adiantou Domingos Silva. Além de impedir as comemorações, a pandemia causada pela Covid-19, levou a associação a alterar o seu funcionamento. Os encontros e convívios presenciais foram substituídos por visitas ao domicílio, com as devidas precauções. “Tivemos de adaptar o projecto ‘Longe Mais Perto’ para ser acessível pelas redes sociais. Também realizamos visitas a casa de utentes para nos inteirarmos das suas necessidades. No Natal levamos uma prenda simbólica e algumas castanhas no S. Martinho (em Novembro). São actos simbólicos mas com grande significado para nós”, disse o presidente da direcção da AADVDB.
Se a pandemia o permitir, a associação gostaria de ter como ‘prenda’ pelos 25 anos, a renovação do CAVI (Centro de Apoio à Vida Independente). “Este ano pretendemos, se possível, renovar o nosso CAVI, que já existe há dois anos. É um projecto importante de apoio à vida independente dos nossos associados e em que cada utente tem direito a um, ou uma, assistente pessoal, o que permite dar mais autonomia”, explicou Domingos Silva.
Apesar das acções de recolhas de fundos estarem suspensas, a AADVDB nunca deixou de contar com os mais variados apoios. “Mesmo numa situação difícil como a que estamos a viver, temos tido sempre ‘prendas’ de associados, dos fundadores, de bem-feitores e de muitas institui- ções e empresas que sempre estiveram do nosso lado. Vamos conseguindo levar o nosso barco”, frisou Domingos Silva, acrescentando que a colectividade conta, actualmente, com cerca de 500 associados.
Em forma de balanço, Domingos Silva lembrou que ao longo de 25 anos foram realizadas muitas actividades, com a participação de dezenas de associados, como por exemplo, almoços e jantares-convívio, visitas guiadas a museus ou actividades desportivas e radicais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho