Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Associação de Moradores das Lameiras quer deixar “Marc@as” na comunidade
Vizela: Feira regressa amanhã com novas regras

Associação de Moradores das Lameiras quer deixar “Marc@as” na comunidade

Vila Verde reforça o apoio logístico aos Centros de Saúde

Associação de Moradores das Lameiras quer deixar “Marc@as” na comunidade

Vale do Ave

2019-12-12 às 20h21

Redacção Redacção

Instituição venceu quarta edição do concurso “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

“Marc@as, Intervenção pela Arte & Cultura - Pela Coesão Comunitária” é o título do novo projeto da Associação de Moradores das Lameiras (AML) que venceu a edição deste ano do concurso “Programar em Rede”, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão com o objetivo de colocar vários agentes culturais do concelho a trabalharem em rede no sentido de cativarem os famalicenses e atraírem turistas ao concelho.



O projeto promovido em parceria com a Academia Contemporânea do Espetáculo de Famalicão – ACE, com a empresa Arga Tintas, A Casa ao Lado e os pelouros do Desenvolvimento Integrado e da Cultura da Câmara Municipal tem como objetivo trabalhar a coesão comunitária, através da arte e da cultura, envolvendo todas as Comissões Sociais Interfreguesias do concelho numa dinâmica de “provocação positiva” da comunidade, espelhando para o exterior valores, causas ou projetos que cada CSIF tem vindo a trabalhar. O projeto “Marc@as” irá envolver os vários agentes culturais do concelho na concretização deste projeto que se diferencia pela inovação e criatividade, pela capacidade de articulação de meios, pela mobilização de público e pela sua descentralização.



Através da arte e da cultura pretende-se assim promover a reflexão e introspeção em cada cidadão sobre as diferentes mensagens que serão transmitidas através da arte, seja uma pintura mural, uma escultura ou até mesmo de uma curta-metragem.



A Associação de Moradores das Lameiras irá agora receber uma verba que poderá chegar aos dez mil euros para concretizar, em 2020, este projeto cultural e artístico.



A AML foi a grande vencedora do projeto municipal, tendo arrecadado 12 votos, em 19 possíveis. Em segundo lugar, ficou a PASEC-Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais, com o projeto “Cenários ADN”, com sete votos. A votação decorreu durante o no último Conselho Municipal da Cultura.



Recorde-se que a iniciativa “Programar em Rede” arrancou em 2016, com a Fundação Cupertino de Miranda a arrecadar o prémio com o projeto cultural "Museus Ilustrados em Rede". Em 2017, a grande vencedora foi “A Casa ao Lado” com o projeto de arte urbana intitulado “Traço”. Em 2018, o projeto da Associação Dar As Mãos foi o eleito com a poesia a invadir a cidade.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho