Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Ataques desafinados, má fortuna e sol ardente ditaram nulo entre Dumiense e Brito
GrowUp superou expectativas

Ataques desafinados, má fortuna e sol ardente ditaram nulo entre Dumiense e Brito

UMinho vence prémio internacional de inovação

Ataques desafinados, má fortuna e sol ardente ditaram nulo entre Dumiense e Brito

Desporto

2019-09-16 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Sem golos Dumiense e Brito saíram ontem empatados. Clube da casa dispôs das melhores ocasiões mas um defesa forasteiro reagiu no instante do remate e na segunda o sol pode ter estorvado.

Dumiense e Brito empataram ontem, sem golos, no Campo Celestino Lobo, em jogo para a quinta jornada da Pró-Nacional da AF Braga.
O clube da casa, que terminou o encontro só com 10 elementos por acumulação de amarelos de Frank ao minuto 87, dispôs das duas melhores oportunidades para fazer o marcador funcionar. Em ambos os casos, esteve sem ponta de sorte o ponta-de-lança do Dumiense, Canetas.

Na primeira dessas ocasiões, ao minuto 16, o atacante da equipa da casa entra na área com a bola dominada, vê o guardião Lopes sair bem dos postes para fechar o ângulo, contorna-o pela esquerda e, nesse lapso de tempo surge um defesa visitante que se interpõe e intercepta o remate.
Na segunda ocasião, ao minuto 83, talvez por estar contra o sol, Canetas falhou à boca da baliza a emenda a um cruzamento.
Aqueles dois momentos - que, se da perspectiva do Dumiense foram de infortúnio, no ponto de vista do Brito tiveram no caso da primeira parte a seu favor a boa movimentação e entendimento entre guarda-redes e defesa - constituíram desvios positivos ao padrão geral do jogo, que se pautou por muita luta na zona do meio campo.

Da equipa do vizinho concelho de Guimarães, viu-se ao minuto 18 uma tentativa de remate de meia distância que saiu bem ao lado, embora por mera ilusão de perspectiva tenha dado aos seus adeptos o entusiasmo de chegar a gritar golo.
Ainda no primeiro tempo, em outra ocasião para o Brito, Vítor Hugo falhou à boca da baliza.

Na segunda parte o encontro ganhou em competitividade, com ambas as equipas a disputarem a bola em cada metro mas perdeu qualidade em termos técnicos.
Sem jogadas bem definidas nos últimos metros da construção ofensiva, era em lances de bola parada que se tentava chegar à baliza, mas quase sempre sem jeito.
Arbitragem regular, nos aspectos técnicos e disciplinares.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.