Correio do Minho

Braga,

- +
Atropelamentos: Operação PSP visa diminuir vítimas mortais que em 2009 aumentaram 36%
Romance e tradições vilaverdenses em grande destaque em São Vicente

Atropelamentos: Operação PSP visa diminuir vítimas mortais que em 2009 aumentaram 36%

A Eurorregião Galicia – Norte de Portugal ganha peso na Europa em publicações científicas

Nacional

2010-03-01 às 18h06

Lusa Lusa

A PSP iniciou hoje uma operação em todo o país para diminuir o número de atropelamentos dentro das localidades, que só no último ano provocaram um aumento de quase 36 por cento de vítimas mortais relativamente a 2008.

Citação

A PSP iniciou hoje uma operação em todo o país para diminuir o número de atropelamentos dentro das localidades, que só no último ano provocaram um aumento de quase 36 por cento de vítimas mortais relativamente a 2008.

Durante a operação da PSP 'Pela vida, trave!', que se vai realizar ao longo dos meses de março, abril e maio, elementos policiais à civil ou em viaturas descaracterizas, que normalmente não são usadas no âmbito de fiscalizações de trânsito, vão estar em locais estratégicos para controlar as infrações rodoviárias, disse à agência Lusa o porta-voz da PSP, Paulo Flor.

Segundo a polícia, os agentes vão dar especial relevância ao desrespeito pelos semáforos e sinais de stop, excesso de velocidade dentro das áreas urbanas e utilização da passadeira, tanto pelo condutor, como pelo peão.

Paulo Flor relembrou que o desrespeito pela sinalização luminosa e pelo stop constituem uma contra ordenação muito grave.

Nos próximos três meses será 'aumentada a ação repressiva' da PSP, daí a colocação de brigadas à civil para controlar o comportamento dos condutores e peões, ao memo tempo que se vão realizar as tradicionais operações de fiscalização de trânsito, adiantou o porta-voz.

Com esta iniciativa, a polícia quer diminuir o número de mortos nas áreas urbanas em consequência de atropelamento e mostrar aos condutores e peões que os infratores têm de ser responsabilizados e adotar comportamentos de civismo.

Para diminuir o número de atropelamentos mortais, a PSP fez um levantamento nacional das vias rodoviárias que representam um risco acrescido.

Rua Padre Cruz (Braga), Rua do Couteiro (Braga), Avenida Afonso Henriques (Guimarães), Avenida Forças Armadas (Lisboa), Avenida Brasília (Lisboa), Quinta do Loureiro (Lisboa), Rua João Amaral (Lisboa), Estrada Nacional 125 (Tavira), Rua Ataíde Oliveira (Faro) são algumas das artérias identificas e que vão ser alvo da ação fiscalizadora da PSP.

Desde 2007 que a PSP verifica um aumento do número de mortos por atropelamento. Em 2007, morreram 35 pessoas vítimas de atropelamento, número que aumenta para 39 em 2008, registando-se a maior subida em 2009, quando morreram 53 pessoas.

Este ano e até 22 de fevereiro, os atropelamentos já causaram oito vítimas mortais na área de fiscalização da PSP, centros urbanos.

Segundo o porta-voz da PSP, nos atropelamentos, que tanto acontecem dentro como fora das passadeiras, a culpa é normalmente em 50 por cento dos casos dos peões e outros 50 por cento dos condutores.

Em 2008, cerca de 80 por cento dos atropelamentos mortais ocorreram fora das passadeiras e, no ano passado, mais de 70 por cento também se registaram fora das passagens para peões.

Paulo Flor disse ainda que as principais vítimas dos atropelamentos são as pessoas com mobilidade reduzida, nomeadamente idosos.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho