Correio do Minho

Braga,

- +
Baliza teve via aberta ao segundo lugar
Amares prepara época de incêndios com ações de fogo controlado

Baliza teve via aberta ao segundo lugar

Mais 31.500 euros para apoiar empresas e proteger o emprego de Cabeceiras de Basto

Baliza teve via aberta ao segundo lugar

Desporto

2021-03-01 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

SC Braga venceu, na Madeira, em casa do Nacional, por 1-2, em jogo da 21.ª jornada da I Liga. Dois erros monumentais do guardião Piscitelli deram os golos do triunfo a Fransérgio e Abel Ruiz. Guerreiros estão no segundo lugar do campeonato.

Com uma ajuda assim a tarefa até ficou mais facilitada. O SC Braga aproveitou da melhor forma uma noite para esquecer do guarda-redes do Nacional para chegar ao segundo lugar da I Liga, somando agora 46 pontos, mais um do que o FC Porto, terceiro, e a nove de distância do líder Sporting. Num duelo em que os guerreiros mostraram enorme personalidade, dois erros de Piscitelli ofereceram os golos do triunfo a Fransérgio e Abel Ruiz, com Riascos a reduzir, na segunda parte, e a obrigar o SC Braga a sofrer até ao final. Uma dose de sofrimento que também faz parte da raça guerreira e da história das grandes equipas.

O SC Braga entrou em campo com uma autêntica revolução no onze - Carvalhal mudou oito jogadores em relação ao duelo europeu com a Roma e promoveu a estreia a titular do jovem central Bruno Rodrigues - e com a tal pica toda que o técnico tinha falado na antevisão ao jogo, de tal forma que Abel Ruiz quase marcava logo aos 30 segundos! O espanhol entrou na grande área, driblou Nuno Borges e rematou para o golo, mas Rui Correia salvou de forma milagrosa, em cima da linha da baliza.
O domínio bracarense intensificou-se e Riccardo Piscitelli deu uma enorme ajuda aos guerreiros, com um erro tremendo a dar o primeiro golo: o guarda-redes largou a bola depois de tentar travar um cruzamento e ofereceu o esférico a Fransérgio, que teve apenas de encostar para o fundo das redes.

Quatro minutos depois, o guardião voltou a ficar mal na fotografia, com mais uma fífia que deixou, claramente, a baliza à mercê de Abel Ruiz. O italiano saiu da grande área para afastar com a cabeça, mas falhou a recepção e deu a bola ao avançado, que só teve de caminhar para a baliza deserta e atirar para o segundo.
O SC Braga cresceu no jogo ao aproveitar os erros do guarda-redes madeirense, perante um Nacional perdido em campo e sem fio de jogo, e só não sentenciou o encontro, porque Abel Ruiz tirou tinta ao ferro em duas soberbas oportunidades. Os 60 por cento de posse de bola e os oito remates demonstram bem a qualidade dos arsenalistas no primeiro tempo.

Para a segunda parte, Luís Freire lançou Rúben Micael e a equipa insular ganhou nova dinâmica, à procura da baliza bracarense. Vincent Thill rematou para defesa segura de Matheus e, aos 69 minutos, Riascos reduziu a desvantagem, após um grande passe de Vigário.
O golo deixou a equipa do Nacional mais agressiva, que carregou à procura do empate, criando maiores dificuldades ao SC Braga. Foi nesse momento que os guerreiros souberam sofrer, fechar linhas, cerrar a defesa, segurar a vantagem e até tentaram o terceiro, mas Vítor falhou o alvo em cima da baliza.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho