Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Bernardo Cruz e João Moreira vencem Prémio Victor de Sá
“Politiquices à Séria” promove debate entre e para os jovens sobre as Eleições Legislativas de 10 de março

Bernardo Cruz e João Moreira vencem Prémio Victor de Sá

Propostas da Confeitaria Fonte Seca vão dos famosos croissants às tapas

Bernardo Cruz e João Moreira vencem Prémio Victor de Sá

Ensino

2023-11-29 às 06h00

Redacção Redacção

Conselho Cultural da UMinho atribuiu, ex-aequo, o Prémio Victor de Sá de História Contemporânea 2023 a Bernardo Cruz e João Moreira.

Citação

Os investigadores Bernardo Cruz e João Moreira, da Universidade Nova de Lisboa, são os vencedores, ex-aequo, do Prémio Victor de Sá de História Contemporânea 2023. O Conselho Cultural da Universidade do Minho atribuiu ainda uma menção honrosa a José Miguel Ferreira, da mesma academia.
Em comunicado, a UMinho destaca que esta 32.ª edição voltou a ter muitos participantes, na maioria com teses doutorais, “o que revela o prestígio da iniciativa e a vitalidade da historiografia portuguesa contemporânea”.
O júri foi presidido pela professora Fátima Moura Ferreira (UMinho), tendo como vogais os professores Irene Vaquinhas (Universidade de Coimbra) e Sérgio Campos Matos (Universidade de Lisboa).
Bernardo Cruz foi distinguido pela obra ‘As origens institucionais da moderação da violência: regedorias e políticas de concentração em Angola (1914-1974)’. O trabalho permite compreender melhor a política colonial portuguesa no século XX, sobretudo em Angola. João Moreira foi também laureado pela sua tese doutoral, ‘Intelectuais portugueses e a ideia de esquerda num tempo de transição (1968-1986) - Os casos de António José Saraiva, Eduardo Prado Coelho e João Martins Pereira’. A sua pesquisa enquadrou os três intelectuais nas transformações daquele período e comparou a reflexão que fizeram em aspectos como marxismo, socialismo e esquerda, com base em debates internacionais, publicações e documentos inéditos daqueles auto- res. A menção honrosa coube a José Miguel Ferreira e à sua tese ‘As novas conquistas: agricultura, florestas e colonialismo em Goa (c. 1763-1912)’. O estudo analisou a diversidade de projectos de governo e colonização do espaço designado por “novas conquistas” em Goa, ao longo de 150 anos.

Deixa o teu comentário

Banner publicidade

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho