Correio do Minho

Braga,

- +
Bloco de Esquerda denuncia erros de planeamento nas obras das Camélias
Furacão González abateu frágil habitação em Moreira de Cónegos

Bloco de Esquerda denuncia erros de planeamento nas obras das Camélias

Carlos Carvalhal: “Podemos estar na esteira de fazer o melhor registo do SC Braga”

Bloco de Esquerda denuncia erros de planeamento  nas obras das Camélias

Braga

2021-03-06 às 13h44

Paula Maia Paula Maia

Escadaria em granito, colocada no trajecto com várias árvores, merece as críticas do Bloco de Esquerda que fala em “erro crasso”.

O Bloco de Esquerda (BE) de Braga denunciou ontem aquilo que considera serem “os vários erros urbanísticos” que marcam as obras que a câmara de Braga está a executar no Parque das Camélias, num investimento de 500 mil euros.
A deputada municipal do BE, Alexandra Vieira, elenca várias falhas detectadas na obra que a tornam de difícil acesso a todos os cidadãos, a começar desde logo, pela inexistência de “caminhos suaves” que as pessoas possam percorrer, ora “empurrando carrinhos de bebé, ora usando cadeiras de rodas ou até mesmo a bicicleta ou a trotinete”, diz a deputada, referindo-se à escadaria em granito que está a ser concluída naquele espaço.

Além do trajecto da escadaria, Alexandra Vieira questiona também o facto desta ser construída num percurso com várias árvores, que embora tivessem sido preservadas, ficaram no meio do percurso. “Ninguém projecta uma escadaria que vai contra as árvores. Isto revela uma profunda ignorância sobre como se projectam parques urbanos ou qualquer tipo de construção. Das duas uma. Ou a escadaria fica ao lado ou o obstáculo remove”, diz a deputada, indicando que neste caso a autarquia deveria ter escolhido um percurso alternativo. “É um erro crasso fazer uma zona de circulação com obstáculos pelo meio”, continua a responsável.
A deputada bloquista questiona também o material utilizado pela autarquia para construir esta escadaria, - o granito - que além de ser muito irregular e de ter arestas vivas que são um perigo para quem ali passa, é também um material muito caro. “Até para caminhar este piso não é adequado”, explica a deputada, dizendo que a autarquia poderia ter optado por um piso em cimento ou em terra batida.

De visita ao local, Alexandra Vieira afirma que o parque “não respeita em nada as condições de acessibilidade”. “Pessoas com cadeiras de rodas, com carrinhos de bebés, pessoas de idade ou com dificuldade de locomoção não conseguem desfrutar este espaço”, assegura.
Alfredo Ribeiro, eleito do BE na Assembleia da União de Freguesias de São João do Souto e São Lázaro, refere também que estas escadas são “um verdadeiro perigo”. “Qualquer pessoa, mesmo que não tenha dificuldades motoras, facilmente tropeça nestas escadas e bate com a cabeça nestas arestas vivas”, diz.

As críticas do BE estendem-se também ao parque infantil situado nesta área, considerado dos melhores da cidade, mas que está deteriorado. “Este parque custou quase meio milhão de euros e deixaram acontecer esta degradação”, explica António Lima, acrescentando que o investimento para esta zona não prevê a recuperação do parque.
O BE estranha ainda que a autarquia tivesse vedado o campo em relva sintética situado junto ao estacionamento do Altice Forum Braga, sendo o acesso ao mesmo somente feito pelo referido estacionamento.
O CM tentou ouvir o vereador do Ambiente da câmara de Braga, mas sem sucesso.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho