Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Bom Jesus Património Mundial da Humanidade une executivo
Mão Morta estreiam filme-concerto em Famalicão

Bom Jesus Património Mundial da Humanidade une executivo

Viana do Castelo já conta com 12 viaturas elétricas e quer renovar frota completa nos próximos dois anos

Bom Jesus Património Mundial da Humanidade une executivo

2019-07-16 às 07h00

Teresa M. Costa Teresa M. Costa

Voto de congratulação pelo reconhecimento do Bom Jesus como Património Mundial da Humanidade mereceu unanimidade do executivo municipal. CDU aponta falta de infraestruturas.

O executivo municipal de Braga, reunido ontem, foi unânime na congratulação pelo reconhecimento da estância do Bom Jesus como Património da Humanidade.
O voto de congratulação foi proposto pelos vereadores do PS, pela voz de Artur Feio que afirmou: “todos nos sentimos orgulhosos”.
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, manifestou a satisfação pelo que já foi atingido e o comprometimento “com o que é necessário fazer”.
Também a vereadora da CDU, Etelvina Sá, afirmou que o reconhecimento pela UNESCO “é uma mais-valia para Braga e para o país”.
Foi a vereadora comunista que levantou algumas questões relacionadas com a prevenção de incêndios e com a carência de infraestruturas de apoio na estãncia do Bom Jesus.
A antever o aumento do número de visitantes, Etelvina Sá alertou para a necessidade de reforçar o número e a localização de instalações sanitárias. “Há falta de casas de banho claramente” apontou a vereadora, que deu ainda conta da falta de bares de apoio, nomeadamente na zona do lago, onde existe o parque infantil que foi reabilitado pelo Município de Braga.
Do ponto de vista das infraestruturas, Ricardo Rio assumiu que o município colaborou no passado, no presente e vai continuar a colaborar, mas lembrou que a responsabilidade é da entidade proprietária da estância - a Confraria do Bom?Jesus.
No que toca à prevenção de incêndios, a vereadora da CDU apontou a “grande quantidade de plantas invasoras”.
Sobre esta matéria, Ricardo Rio deu conta que o município já encetou várias diligências, incluindo um protocolo com a Confraria para que a equipa de sapadores florestais comparticipada pela autarquia apoie as acções de silvivultura preventiva.
Existe ainda um projecto conjunto entre os municípios de Braga e de Guimarães que visa a valorização dos sacromontes, onde se inclui o Bom Jesus.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.