Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima: “Parceria estratégica” tem sido um “bom exemplo”
Eurodeputada defende produção mais sustentável

Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima: “Parceria estratégica” tem sido um “bom exemplo”

Mais de metade usa o carro nas deslocações diárias e apenas 29% o transporte público

Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima: “Parceria estratégica” tem sido um “bom exemplo”

Cávado

2020-09-25 às 08h00

Redacção Redacção

A celebrar o 133.º aniversário, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima conta com o apoio anual do município na ordem dos 190 mil euros.

Hoje a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima celebra 133 anos. Das mais antigas instituições do concelho, a associação conta com a “parceria estratégica” do Município de Ponte de Lima, cujo investimento anual ronda os 190 mil euros.
“A associação é respeitada e tem uma enorme vitalidade e um excelente corpo activo”, começou por enaltecer o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima. Victor Mendes assumiu a importância da instituição, garantindo que a parceria existente “é um bom exemplo” e tem permitido ter um conjunto de equipamentos considerados essenciais e adaptados às necessidades.
A associação conta com um orçamento de um milhão e 500 mil euros por ano. “Nos últimos 11 anos foi construído o novo quartel no centro da vila e requalificada e ampliada a secção de Freixo. Além disso, fizemos um largo investimento na aquisição de viaturas”, lembrou o autarca, destacando ainda o facto da corporação ter duas viaturas adaptadas para “combate eficiente” aos incêndios florestais, ambas comparticipadas pelo Município de Ponte de Lima.
Entretanto, o município vai agora comparticipar, com cerca de 130 mil euros, uma nova ambulância.
Mas há mais. “Estamos a trabalhar numa área fundamental que é a formação do corpo activo, criando um campo de treinos, que contará também com o financiamento do município, que já disponibilizou o terreno”, revelou Victor Mendes.
Ponte de Lima é dos poucos concelhos que tem duas Equipas de Intervenção Permanente (EIP), mas está já a pensar numa terceira. “Estamos a trabalhar conjuntamente com o Governo para a possibilidade de apoiarmos uma terceira equipa”, avançou o presidente, aplaudindo “a gestão correcta, eficiente e rigorosa que a direcção faz dos meios financeiros, bem como dos recursos humanos para se ter serviço de qualidade”.
Em dia de festa, o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima lamentou não ser possível comemorar. Pedro Saraiva adiantou que apenas se fará um “acto simbólico”, colocando uma coroa de flores em frente ao quartel com o presidente da direcção, o presidente da Assembleia Geral e o comandante.
Também o comandante lamenta não haver festa. “Esta é a altura em que os bombeiros sentem o seu orgulho quer no desfile quer nas visitas que recebem”, referiu Carlos Lima, acreditando que no próximo ano se consiga fazer “uma festa a dobrar”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho