Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +
Bracarenses em maior número garantem “segurança e tranquilidade” na vacinação
Zona central de Gavião ganha nova imagem com requalificação do adro da Igreja

Bracarenses em maior número garantem “segurança e tranquilidade” na vacinação

Câmara de Guimarães intensifica ação de sensibilização para estudantes universitários

Bracarenses em maior número garantem “segurança e tranquilidade” na vacinação

Braga

2021-04-18 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

No dia em que o maior número de bracarenses esteve a ser vacinado, a população mostrou-se “segura” e “tranquila” na toma da vacina contra a Covid-19. Ontem estavam a ser vacinados entre 250 a 300 pessoas/hora, destacando a “excelente organização”.

São mais de cinco mil pessoas, na sua maioria professores e assistentes operacionais das escolas, que estão a ser vacinados contra a Covid-19 durante este fim-de-semana no mega Centro de Vacinação instalado no Altice Forum Braga. “Estou muito contente por ter sido abrangida já no processo de vacinação contra a Covid-19 e sinto-me completamente segura, tranquila e destaco a excelente organização do processo de vacinação que está aqui montado em Braga. Fui muito bem atendida e está tudo muito bem organizado”, confessou Conceição Silva, 62 anos, auxiliar de Educação da Casa do Povo de Tadim, que, ontem, recebeu a vacina.
Ao final da manhã de ontem, a grande nave do Altice Forum Braga ostentava “organização” e “tranquilidade” - aspectos que a população valorizou à reportagem do jornal ‘Correio do Minho’, confessando que estas circunstâncias conferem também “um clima de maior tranquilidade” a quem é chamado para ser vacinado.

Já sentada na área de recobro, onde quem é vacinado aguarda pelo menos meia hora, a auxiliar de Educação, Conceição Silva, mostrava-se “completamente tranquila e segura”. “Estamos a ser muito bem atendidos e, de facto, está tudo muito bem organizado no Centro de Vacinação de Braga aqui no Forum”, frisou, indicando sentir também maior segurança ao regressar a partir de agora a casa todos os dias depois do trabalho, uma vez que tem o marido doente e “era um grande receio que sentia diariamente”, contou.
“Foram todos muito atenciosos neste processo de vacinação e coincidentemente fui até vacinada pela minha própria irmã, que é a enfermeira Rosa Pinheiro, e correu tudo muito bem. Sinto-me muito bem e gostaria de deixar uma mensagem aos bracarenses para que venham ser vacinados sem receios porque isto é para o bem de todos nós”.

Ao lado, o colega Sérgio Barbosa, de 30 anos, também assistente de apoio educativo, aguardava também no recobro. “Estou muito feliz por ter recebido a vacina contra a Covid-19”, disse, num sorriso estendido de orelha a orelha, exibindo satisfação. “Olhe, eu nem senti a agulha sequer no braço! E estou mesmo feliz porque a vacina dá-nos uma grande tranquilidade”.
Além dos trabalhadores das escolas, receberam também a vacina as forças de segurança, inspectores da ACT, colaboradores dos Centros de Actividades ocupacionais e de Apoio Domiciliário, entre outros.

Por hora estão a ser vacinadas entre 250 a 300 pessoas e a equipa de enfermeiros, médicos e auxiliares adstrita ao Centro de Vacinação de Braga (a funcionar entre as 8 e as 21 horas) foi reforçada para para dar resposta ao elevado número de cidadãos que é necessário vacinar nesta segunda fase, incluindo os trabalhadores das escolas - cujo processo de vacinação, iniciado no final de Março, sofreu um revés, devido a complicações com a vacina da AstraZeneca, estando neste momento a sua administração recomendada apenas para maiores de 60 anos.
Céu Ameixinha é a enfermeira especialista responsável pelo Centro de Vacinação de Braga, acompanhando de perto todo o processo. “Em Braga tem corrido tudo bem e verificamos um número crescente diário de vacinação”, indicou. “Os bracarenses estão muito receptivos à vacina e sabem que esta é a única solução que temos na mão”, garantiu a enfermeira, apontando que, diariamente, estão a ser vacinadas entre 900 a 1000 pessoas.
“No concelho de Braga são ‘residuais’ os casos de maiores de 80 anos que faltam vacinar e relativamente a esta segunda fase de vacinação, que prevê a população entre os 50-65 anos com morbilidades, já temos mais de 1/3 da população vacinada”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho