Correio do Minho

Braga,

- +
Braga com 24 turmas em isolamento profiláctico
António Salvador: “Às vezes, Sporting sente-se pequeno ao lado do nosso clube”

Braga com 24 turmas em isolamento profiláctico

Novo Centro de Saúde de Vieira do Minho tem luz verde

Braga com 24 turmas em isolamento profiláctico

As Nossas Escolas

2020-12-09 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

No ensino público, Braga tinha na sexta-feira passada 24 turmas em isolamento profiláctico, bem menos do que as 60 que chegou a ter em meados de Novembro, que foi um “mês negro” para o concelho.

Eram 24 as turmas do ensino público que estavam em isolamento profiláctico na passada sexta- -feira, no concelho de Braga. Trata-se de um número bastante inferior ao verificado em meados de Novembro, quando chegaram a estar 60 turmas em isolamento.
O número foi avançado pelo presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, numa entrevista televisiva, onde o edil também analisou as medidas anunciadas pelo Governo para a quadra natalícia e Ano Novo.
O autarca deu conta de que depois um mês de Novembro “negro” para o concelho, espera que em Dezembro se mantenha a tendência de decréscimo de casos de Covid-19 registada nos últimos dias.
Ricardo Rio espera mesmo que Braga, que ainda está incluído na lista de concelhos com risco extremamente elevado, “desça de patamar” na actualização que o Governo vai fazer, no dia 18, da lista de risco dos concelhos face à Covid-19.

O autarca admitiu que em Novembro a situação epidemiológica no concelho foi muito grave, com vários dias a registar mais de 300 novas infecções por Sars-CoV-2.
Também o número de mortes asociadas à Covid-19 disparou em Novembro, depois de meses sem ter sido registado qualquer óbito.
Recorde-se que desde o início da pandemia até meados de Junho Braga tinha a lamentar 74 mortes, número que se manteve inalterado até ao final de Outubro. Na passada sexta-feira eram já 110 as vítimas mortais.
Apesar de a tendência demonstrar que a pandemia está a abrandar no concelho, Rio salienta que isso não significa que “se possam aligeirar as responsabilidades”, apelando à população para que continue a cumprir as recomendações das entidades de saúde.

Já relativamente às medidas anunciadas por António Costa para o Natal e o Ano Novo, Rio considera “pertinente” este desafogar de medidas na quadra natalícia, não só pelas razões históricas e culturais que marcam a época, mas sobretudo “porque num ano tão difícil como este, existirem restrições às reuniões de família iria ter um impacto imensurável que não justificaria, do ponto de vista prático, o ganho que resultaria de medidas mais restritivas”.
O presidente considera que tem existido um “pacto de confiança” entre os portugueses e o Governo, pacto que acredita que será mantido com o comportamento responsável dos cidadãos na época que se aproxima.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho