Correio do Minho

Braga,

Braga notada pelas boas práticas no Congresso de Cidades Educadoras
Rui Gomes bisou no triunfo do Berço sobre o Ribeirão

Braga notada pelas boas práticas no Congresso de Cidades Educadoras

Arcos de Valdevez terá um anjo para fazer visitantes voar até ao barroco

Braga

2018-11-20 às 09h00

Redacção

Boas práticas como o ‘Executivo Júnior’, ‘Transcrever’, ‘(Com) Viver o Bairro’, ‘Tu Decides’, ‘Desporto, Saúde e Braga’, ‘Quem tem Medo’ e ‘+ Cidadania’ fizeram de Braga uma das cidades mais enaltecida no congresso que decorreu no Estoril.

Braga impressionou pelo seu dinamismo, sendo um dos municípios que mais experiências viu apresentadas e debatidas nas sessões de trabalho no XV Congresso Internacional das Cidades Educadoras. Boas práticas como o ‘Executivo Júnior’, ‘Transcrever’, ‘(Com) Viver o Bairro’, ‘Tu Decides’, ‘Desporto, Saúde e Braga’, ‘Quem tem Medo’ e ‘+ Cidadania’ fizeram de Braga uma das cidades mais enaltecida no congresso que decorreu no centro de Congressos do Estoril.
Esta foi a primeira vez que o evento se realizou numa cidade portuguesa. O Município de Braga esteve presente durante quatro dias naquele que foi o palco privilegiado de debate sobre a educação, ambiente, cidadania participativa e espaço público entre cidadãos de 118 cidades, de 24 países diferentes.

Com a presença de Mónica Fein, de Intendenta do Rosário, cidade Argentina que organizou a edição anterior do Congresso, de Catarina Marques Vieira, Comissária para a Capital Europeia da Juventude, e de Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, os momentos altos foram as mesas temáticas onde Braga se fez representar para debater a convivência e o sentimento de pertença.
A tarefa de finalizar o congresso coube aos jovens, marco especial no ano em que Cascais é também Capital Europeia da Juventude. Foram apresentadas as conclusões dos trabalhos e debates paralelos do Congresso Jovem que decorreu a par do XV Congresso Internacional de Cidades Educadoras e onde Braga se fez representar por dois jovens do Conselho Municipal de Juventude.

Foram quatro dias marcados or um profundo debate, reflexão e partilha daquilo que são os princípios e os valores da declaração das Cidades Educadoras e que se prendem com a educação, a coesão social e a cidadania participativa. Temas disseminados pela rede com o escopo de criar uma “onda educadora” cada vez maior.
Lídia Dias, vereadora da Educação, salienta a “brilhante e proveitosa” participação do município no congresso, assumindo, como prioridade, o desenvolvimento de políticas trans- versais dirigidas à qualidade de vida das pessoas.
“Um dos desafios da Carta das Cidades Educadoras respeita à procura de harmonia entre identidade e diversidade culturais protegendo o direito de todos aqueles que habitam a cidade e os contributos das comunidades que a integram. É com base nesta máxima que a nossa intervenção local vai de encontro à cidadania democrática, na partilha e equidade social alicerçadas em valores éticos e cívicos, enobrecendo a construção colectiva de um sentimento de pertença à cidade que se constrói com as pessoas”, refere.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.