Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Braga recebeu de braços abertos Carnaval brasileiro
Clubes de futsal lamentam mas aceitam decisão do fecho da época na formação

Braga recebeu de braços abertos Carnaval brasileiro

Famalicão reúne jovens músicos para estágio em orquestra

Braga recebeu de braços abertos Carnaval brasileiro

Braga

2020-02-24 às 06h00

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

O Jardim dos Chorões, em frente ao Campo das Hortas, ‘virou’, ontem, um verdadeiro Bloco de Carnaval tipicamente brasileiro, numa iniciativa apoiada pelo Município de Braga. A comunidade brasileira juntou-se e mostrou como faz a festa ao som do samba em qualquer esquina.

O som animado das baterias e do samba ouvia-se do Campo da Vinha, mas chegava do Jardim dos Chorões (frente ao Campo das Hortas), que durante a tarde quente de ontem se transformou num verdadeiro bloco do típico Carnaval carioca do Rio de Janeiro. Centenas de brasileiros, entre os quais se misturaram muitos amigos bracarenses, comungaram do ‘espírito’ carnavalesco, uns usando máscaras improvisadas à última da hora, envergando a bandeira do Brasil às costas, outros com disfarces mais cuidados ou ousados, mas todos mostrando em sorrisos rasgados essa alegria que o povo brasileiro tem e que convida à festa.
A comunidade brasileira em Braga assume, actualmente, relevância pela quantidade de brasileiros que tem escolhido a ‘Capital do Minho’ para refazer ou começar a sua vida. Foi isso mesmo que confessou Maria Cândida Brazileiro, que vive na cidade há dois anos.

“Eu me apaixonei por Braga, sabe?”, contou, divertida, no meio da festa, garantindo que “foi amor à primeira vista”. “Gosto muito desta cidade, pela sua dimensão e pela qualidade de vida que ela nos dá”. Para a festa do Bloco de Carnaval ‘Minho de Janeiro’ trouxe consigo a amiga bracarense Maria Fernanda. “Adoro este jeito de ser dos brasileiros. É muito importante aceitarmos todos de braços abertos porque eu também já fui emigrante na África do Sul e sei bem o que significa ter que mudar a vida toda num outro país e este é um país-irmão do Brasil”, disse, frisando que “os bracarenses têm dado o exemplo” a este nível.
Com a intenção de ficar por cá apenas durante o tempo de completar o mestrado em Gestão de Recursos Humanos, Célia Carvalhide, era uma das pessoas que se encontrava na festa a celebrar o Carnaval. “Acima de tudo considero que este género de iniciativas é também uma forma de agradecermos à cidade de Braga toda a hospitalidade que nos tem dado e da qual estamos muito reconhecidos”.

Muito feliz neste Bloco de Carnaval estava também Renata Gomes Coelho que veio viver para Braga há dois anos. “Comprei cá casa e gosto muito de estar nesta cidade e hoje (ontem) estou mesmo contente porque esta é a primeira vez que saio de casa e como sou do Rio de Janeiro esta foi uma excelente forma de, na verdade, matar saudades”, confessou.
De Fortaleza e também do Rio de Janeiro, o trio de amigas Magda, Lucila e Fabiana contavam que até já se estavam a sentir tristes por não poder viver o Carnaval.
“Assim que soubemos que ia haver um Bloco de Carnaval aqui em Braga decidimos vir logo”. “Para nós é muito bom poder celebrar o Carnaval, dançar e sambar, porque este é o nosso espírito, de facto”.

O Bloco de Carnaval ‘Minho de Janeiro’ serviu para a comunidade brasileira residente em Braga e nos arredores ‘matar saudades’, sair à rua e mostrar uma das suas maiores tradições à cidade. No Jardim dos Chorões, que se encheu de famílias e amigos, a festa fez-se com muita música, muito samba, e, claro, também com os mais diversos petiscos tipicamente brasileiros como a ‘coxinha’, o ‘torresmo’ (barriguinha de porco), o ‘espetinho de picanha e de linguiça’. Enquanto uns cantavam, outros sambavam ao som do grupo ‘Toque Social’ e mais tarde da dj Verinha Pinheiro, em clima de boa disposição.
Bruno Gutman e Pedro, os dois elementos que fundaram o Bloco ‘Minho de Janeiro’ mostraram a sua felicidade por o evento ter atraído tanta gente. “É muito bom ver a adesão das pessoas, embora esta seja uma festa brasileira, mas dirigida para todos”, assinalou.

“Estamos muito gratos à Câmara Municipal de Braga por nos ter disponibilizado este espaço em frente ao Campo das Hortas para podermos fazer este bloco de Carnaval, mas mais do que mostrar a nossa cultura e as tradições brasileiras, esta é uma iniciativa que pretende também a integração com a comunidade portuguesa e, neste caso específico, com a comunidade bracarense e minhota, até porque no Brasil, e mais especificamente, no Rio de Janeiro, a comunidade portuguesa junta-se não para celebrar o Carnaval, mas em casas como a ‘Casa do Minho’, entre muitas outras, para preservarem e continuarem a viver também as suas tradições e nós, brasileiros, também participamos dessas festas portuguesas”, detalhou o responsável. “Nós queremos que os bracarenses e minhotos vivam também as nossas tradições connosco porque sentimo-nos bem recebidos cá”.
No meio do típico Carnaval carioca, destacam-se os típicos instrumentos portugueses como o cavaquinho e os bombos (baterias). São as suas sonoridades que dão o ‘toque de caixa’ ao samba e imprimem o ritmo a um qualquer bloco carnavalesco que se forme, demonstrando que aquilo que une Portugal e o Brasil é, talvez, muito mais do que aquilo que os separa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho