Correio do Minho

Braga,

- +
Braga Romana está de volta numa edição a simbolizar o florescimento e a vida
Berna renova contrato com o SC Braga até 2025

Braga Romana está de volta numa edição a simbolizar o florescimento e a vida

Luta contra a obesidade foi mote na visita ao MARB

Braga Romana está de volta numa edição a simbolizar o florescimento e a vida

Braga

2022-05-14 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

De 25 a 29 de Maio, todos os caminhos vão dar a Bracara Augusta. Cidade volta a vestir-se a rigor para revisitar e recriar o quotidiano romano, numa edição da Braga Romana inspirada na deusa Flora, símbolo de florescimento e renovação.

Citação

Mens Sana in Corpore Sano’. Uma mente sã num corpo são. A frase do poeta romano Juvenal é o lema da edição de 2022 da Braga Romana, que regressa depois de dois anos de interregno devido à pandemia. Inspirados na deusa Flora - a divindade da Primavera - a organização projecta quatro dias de intensa programação, num verdadeiro ciclo de renovação e florescimento, após os tempos difíceis da pandemia. De 25 a 29 de Maio, todos os caminhos vão dar a Bracara Augusta, numa viagem no tempo onde a cidade se veste a rigor para celebrar a sua fundação, recriando o quotidiano romano de há mais de dois mil anos, num evento único, onde se destaca o programa cultural e pedagógico.

“É uma espécie de Primavera depois deste Inverno que vivemos ao longo dos últimos dois anos e que ainda não está totalmente ultrapassado. É o evocar de um renascimento e um florir de novo da cidade com muitos milhares de pessoas que acorrerão para vivenciarem e usufruirem de todas as dinâmicas de uma evento muito mobilizador, e que tem uma adesão entusiasta dos bracarenses e não só”, sublinhou o presidente da câmara municipal, Ricardo Rio, destacando a “grande expectativa” que já se vive na cidade e “um programa ainda mais intenso e diversificado, com muitos momentos de dinâmicas culturais e vivências históricas”.
Autarca realça a importância do evento para o turismo e economia local, lembrando ser “um factor de animação do tecido comercial e restauração” e projectando “em termos de visibilidade a cidade”.
Ricardo Rio sublinhou ainda o trabalho da autarquia no sentido de que a Braga Romana perdure ao longo do ano: “a Braga Romana não é um momento, é um estado contínuo que queremos ter presente na nossa cidade, seja nos espaços de visitação, mas, sobretudo, um espaço de contacto e aprendizagem para os nossos jovens”.

Para além de uma Braga Romana “mais sustentável”, “nesta edição celebramos, sobretudo, a vida, o florescer, a harmonia, o equilíbrio”. “É com um ciclo de renovação e reflorescer da cultura e da celebração da nossa identidade que iniciamos os grandes eventos em espaço público. Depois de dois anos de interrupção devido à pandemia, nada como a procura da superação do interior, do culto do corpo e da mente para ultrapassar as dificuldades. Acreditamos que a cultura da partilha, o voltar à rua, aos eventos em espaço público e celebrar a nossa identidade pode permitir regressar ao bem-estar e o regresso à vivência comum”, frisou Sílvia Faria, responsável da Divisão de Cultura.

Terras de Bouro alia-se ao evento para promoção do património arqueológico

Este ano, uma das novidades da Braga Romana é a ligação de Terras de Bouro ao evento, numa parceira tendo em conta o legado importante em termos de património arqueológico.
“Pretendemos uma boleia no desenvolvimento deste território arqueológico. Depois da pandemia, trabalhamos na promoção do nosso território e no património arqueológico que temos, um património que já classificado nacional e que estamos a fazer a classificação, juntamente com a Universidade do Minho, para património da UNESCO, assim esperemos conseguir”, explicou Manuel Tibo, presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro.
Depois de várias iniciativas “que ao longo dos últimos anos foram feitas avulso para promover o território”, após a realização da Braga Romana, no fim-de-semana seguinte, terá lugar a Geira Romana, em Terras de Bouro, nos dias 3, 4 e 5 de Junho.

“À nossa escala promovendo aquilo que nós temos em termos de conservação, de continuar a agregar a comunidade escolar e toda a comunidade do território e todos aqueles que nos visitam, que são aos milhares, a partir desta altura do ano, até pela ligação que temos ao Parque Nacional e às Termas do Gerês”, sublinhou, realçando a “ligação que queremos fundir com a Braga Romana para que a nossa promoção seja mais concreta”.
Presente na cerimónia de apresentação do programa, Marco Sousa, em representação da Associação de Turismo Porto e Norte de Portugal, considerou a Braga Romana como “um grande catalisador do que é a procura turística”.
“A Braga Romana já se vinha afirmando como um grande evento da cidade e da região. De 2016 a 2019, o mês de Maio teve um crescimento de 35 por cento nas dormidas. O que é de realçar colocando a importância da Braga Romana na procura turística em Braga”, destacou, revelando que nestes primeiros meses do ano de retoma “regista-se com uma procura turística muito elevada e deve-se à atractividade da região e a estes eventos”.

Sabores romanos à mesa de 13 restaurantes

Pelo quarto ano consecutivo, a AEB - Associação Empresarial de Braga junta mais um motivo para que o evento se assuma como uma memorável viagem no tempo, com o roteiro ‘Braga Romana à mesa’.
De 25 a 29 de Maio, a sugestão é reviver Bracara Augusta através da gastronomia, à mesa de 13 restaurantes que convidam os visitantes a embarcar numa viagem através dos sentidos.
“A Braga Romana é um evento extraordinário, que celebra a cultura, a nossa identidade, a nossa história e um evento marcante para a nossa estratégia de promoção e dinamização turística. É um evento relevante para a dinamização económica do nosso território e é, claramente, um dos grandes eventos ao longo do ano e aumenta significativamente a atractividade da cidade e da região. Atrai milhares de pessoas, traz dinâmica, traz pessoas, consumidores e gera um aumento do consumo”. O director geral da AEB destaca o “rigor na organização da iniciativa”, uma vez que “todos os menus são elaborados com ingredientes que existiam à época dos romanos”. Estabelecimentos de restauração aderentes vão disponibilizar aos consumidores menus romanos - com entrada, prato, bebida e sobremesa - com preços entre os 6,5 e 26 euros. Haverá ainda o Banquete Romano, “iniciativa que se realiza pela primeira vez e na qual depositamos muitas expectativas”. Será dia 20, no Vila Galé Collection Braga.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho