Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Braga tem “uma luz muito especial”
Distrito de Braga conta mais 5670 desempregados num ano

Braga tem “uma luz muito especial”

Município sensibilizou alunos para o combate à Covid-19

Braga tem “uma luz  muito especial”

Nacional

2020-09-28 às 10h14

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

‘Os Conselhos da Noite’ foi realizado pelo bracarense José Oliveira. O filme, em exibição nos cinemas, mostra Braga como ela é.

‘Os Conselhos da Noite’ foi realizado pelo bracarense José Oliveira em Braga. O filme surge da necessidade de “devolver qualquer coisa” à cidade que está em mudança. “Este é um bom filme para os bracarenses irem ver. Braga é uma cidade fascinante para filmar e a luz de Braga é muito bonita e tem uma densidade muito especial, é uma coisa hipnótica, no cinema fica muito bonita, quase dourada”, confidenciou o realizador.

José Oliveira, que falava para os microfones da rádio Antena Minho, a propósito do filme que está em exibição em várias cidades do país e em Braga no NOS Cinema Braga Parque com sessões diárias às 14.30, 17.40 e às 20.45 horas, confidenciou que “foi fascinante” filmar em Braga. “Já tinha filmado outras coisas em outros lugares, mas em Braga nunca tinha filmado e foi um fascínio. As pessoas adoraram e acolheram-nos de braços abertos”, agradeceu José Oliveira, confirmando que em Braga “aconteceu tudo muito fluido e de forma natural” mesmo sabendo que “as gravações mexem no quotidiano e no dia a dia das pessoas”.

A Covid-19 adiou a estreia - que esteve prevista para Abril - mas para o realizador “as coisas são o que são”. Mesmo assim, em tempos de pandemia, José Oliveira espera que “as pessoas consigam ir ao cinema, porque as regras estão a ser cumpridas e as pessoas têm que continuar a viver”.

A longa-metragem começou a ser trabalhada em 2014 com o também bracarense e argumentista João Palhares. “Este projecto cinematográfico esteve em pré-produção todos estes anos, desde a escrita ao argumento até à fase final e chegou agora às salas do cinema”, contou o realizador, lembrando que o financiamento também não foi fácil. “Neste tempo, tivemos oportunidade para trabalhar a história e assim conseguimos dar-lhe mais lucidez, mais realismo, enriquecer e completar as personagens”, justificou José Oliveira, acreditando que a história “ficou ainda mais rica, com mais personagens e mais espaços”. Gravar não foi fácil, porque a história tem muitas personagens, muitos espaços, muita rotação e muito movimento, mas foi “um trabalho muito rico e trabalhar com os bracarenses foi muito interessante”, partilhou.

O filme, que concorre ao Prémio de Cinema Português do Fantasporto, tem como protagonista o actor Tiago Aldeia, que dá vida à personagem de Roberto, um jornalista doente que regressa à terra natal. “Foi muito importante mostrar esta Braga que saiu da escuridão para luz e que mantém a originalidade”, contou.
No futuro, José Oliveira quer continuar a trabalhar com o amigo João Palhares e o actor Tiago Aldeia.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho