Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
‘Branda Científica’ garante apoio do ICNF
Viana do Castelo é a terceira cidade mais acolhedora do mundo

‘Branda Científica’ garante apoio do ICNF

Na Escola de Valença Comer a Sopa Toda Dá Prémios

‘Branda Científica’ garante apoio do ICNF

Nacional

2024-05-09 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Projecto da ‘Branda Científica’ consolidou-se no aniversário do?Parque Nacional da Peneda-Gerês. Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF) deu aval à futura estação científica internacional.

Citação

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o Município de Arcos de Valdevez e a associação Biopolis assinaram ontem, em Pitões das Júnias, um protocolo de cooperação para a investigação científica, acto decisivo para a concretização da ‘Branda Científica’, um centro internacional para o estudo da biodiversidade e ecossistemas naturais, bem como da gestão sustentável dos recursos naturais.
Com um investimento estimado de quatro milhões de euros, a ‘Branda Científica’ implica a remodelação de alguns edifícios da Branda de S. Bento do Cando, aldeia de montanha do concelho de Arcos de Valdevez, tendo em vista a criação de alojamentos para investigadores, laboratórios e um espaço de apoio para a realização de encontros científicos. O protocolo de cooperação foi assinado no âmbito da celebração do 53.º aniversário do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG).
A ‘Branda Científica’ tem como principal missão alojar os cientistas de várias áreas que pretendam estudar não só a biodiversidade do PNPG, mas também de toda a floresta atlântica.
A criação da ‘Branda Científica’ implica a recuperação e remodelação de edifícios pertencentes à Confraria de S. Bento de Cando, onde se cumpria a transumância, ou seja, a mudança sazonal dos agricultores e seus rebanhos para locais que oferecem melhores condições de pastoreio durante uma parte do ano.
O projecto Biopolis, dirigido por Nuno Ferrand de Almeida, tem como objectivo a criação de uma superestrutura de investigação em biologia ambiental, capaz de responder aos novos desafios que se colocam hoje em áreas de ponta como a genómica, a biologia computacional, a bioinformática ou a monitorização ambiental. O Biopolis tem já uma estação científica em Mértola, duas em Angola e outra em S. Tomé e Príncipe.
O director-geral desta associação privada que agrega o Centro de Investigação em Biodiver- sidade e Recursos Genéticos (CIBIO) da Universidade do Porto, a Universidade de Montpellier, em França, e a Porto Business School, afirmou ontem, na cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação, que a ‘Branda Científica’ conta com um grande empenho da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez e visa “atrair investigadores portugueses, mas também do resto do Mundo”.
Assinado o protocolo de cooperação, as três entidades subscritoras vão agora procurar financiamentos, nomeadamente da União Europeia, para pôr a funcionar a ‘Branda Científica’.
Sandra Sarmento, directora regional do Norte da Conservação da Natureza e das Florestas, relevou ontem, na sessão comemorativa do aniversário do PNPG, que “o conhecimento e a investigação são ferramentas estratégicas para a preservação dos territórios naturais”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho