Correio do Minho

Braga, sábado

- +
CDU exige solução para ribeira de Panoias
Plano de Comunicação 2021 do Desporto e Atividade Física: Póvoa de Lanhoso em terceiro lugar

CDU exige solução para ribeira de Panoias

Experiência, juventude e conhecimento são a aposta da TractorMinho Lda

CDU exige solução para ribeira de Panoias

Braga

2021-04-18 às 12h23

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

CDU juntou-se à Junta de Freguesia e à população para exigir respostas imediatas para a pressão ambiental a que está sujeita a ribeira de Panóias.

A CDU juntou-se ontem à Junta de Freguesia e à população local na exigência de soluções para mitigar a situação da ribeira de Panóias, até que seja construída a nova ETAR da cidade. O novo equipamento permitirá aliviar a pressão sobre a ETAR de Frossos e, em consequência, aliviar também a pressão ambiental sobre a ribeira de Panóias.
Depois de ter levado o tema a reunião do executivo municipal, a vereadora e candidata da CDU à Câmara de Braga, Bárbara Barros, esteve ontem junto à ribeira de Panoias, numa visita guiada pela presidente da Junta, Carmindo Soares, e por mais de uma dezena de populares que quiseram demonstrar o seu descontentamento perante aquilo que consideram ser um atentado ambiental e à saúde pública.
“A resolução desta situação arrasta-se há décadas, sendo que a cada Primavera/Verão ela adensa-se e deteriora a qualidade de vida destas populações”, referiu Bárbara Barros, realçando que o problema já “já ultrapassa as fronteiras” da freguesia.

Bárbara Barros realça que a resposta obtida em sede de reunião de Câmara “não satisfaz” nem a CDU, nem a Junta de Freguesia, nem as populações. “Sabemos que a pressão sobre a ETAR de Frossos se agravou devido ao crescimento populacional e industrial, mas a verdade é que o problema se agrava de ano para ano e são estas populações que ficam à mercê de uma obra que ainda nem começou”, alerta a vereadora, realçando que a intervenção de manutenção que está a ser realizada na ETAR de Frossos também “ainda não surtir qualquer efeito” positivo no estado da ribeira de Panóias.
“Portanto, ou se encontram formas de mitigar os efeitos desta poluição com estas terríveis consequências que se fazem sentir junto desta população, ou, enquanto não se faz a construção da nova ETAR, arranja-se forma de compensar as populações por estes anos todos em que são efectuadas”, diz a candidata.

Já Carmindo Soares referiu que a Junta de Freguesia fez “uma exposição” sobre a situação a várias entidades, nomeadamente à CCDR-N, Administração de Região Hidrográfica (ARH) e à Agência Portuguesa do Ambiente (APA). “E a resposta que vem é a mesma que nos dá a Agere e o Município, ou seja que a ETAR não capacidade, por isso tem de fazer as descargas; que estão a ser efectuadas manutenções na ETAR; e que se aguardam a construção da nova ETAR. Isto dito pelas autoridades a quem compete fiscalizar as linhas de água é o mesmo que dizer que não há nada a fazer”, diz Carmindo Soares.
“O que aqui se passa é um perigo para a saúde pública e as pessoas já não aceitam este tipo de respostas”, afirma o autarca eleito pela CDU, exigindo das entidades competentes uma solução imediata para o problema.
Carmindo Soares considera ainda que tanto a intervenção prevista no âmbito da obra de prolongamento da variante do Cávado, como a hipótese de se construírem bacias de retenção, “não vão resolver nada”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho