Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Ciclo Julho é de Jazz arranca esta sexta-feira com Andy Sheppard e Mário Costa
Município de Viana do Castelo prepara Agenda para a Inovação 2030

Ciclo Julho é de Jazz arranca esta sexta-feira com Andy Sheppard e Mário Costa

Famalicão: Rota de Camilo ganha impulso com duas candidaturas aprovadas

Ciclo Julho é de Jazz arranca esta sexta-feira com Andy Sheppard e Mário Costa

Braga

2020-06-29 às 18h11

Redacção Redacção

O ciclo Julho é de Jazz apresentou nos últimos anos alguns dos nomes maiores da atualidade do jazz. Nubya Garcia, Peter Evans, The Bad Plus, Peter Brötzmann, Get The Blessing, Steve Noble, Joe Morris ou Evan Parker são alguns dos internacionais que passaram por Braga. Os portugueses Carlos Bica & João Paulo Esteves da Silva, Rodrigo Amado Motion Trio, Bruno Pernadas, Hugo Carvalhais e João Guimarães, entre outros, representaram o jazz nacional.

Esta sexta-feira, 3 de julho, o saxofonista britânico Andy Sheppard juntar-se-á ao baterista português Mário Costa para um concerto único a convite do gnration e que marcará o arranque da sexta edição do ciclo Julho é de Jazz, que este ano terá concertos distribuídos pelas primeiras quatro sextas-feiras do mês. Artista com o selo ECM, uma das mais influentes editoras jazz de sempre, Andy Sheppard é um dos mais importantes saxofonistas do jazz europeu e colaborou intensivamente com Carla Bley, George Russel e Gil Evans, três dos mais consagrados compositores do jazz contemporâneo. Considerado pela crítica internacional como uma das principais referências da bateria no jazz europeu, Mário Costa construiu um notável percurso musical ao longo dos anos. Em 2018, lançou o álbum Oxy Patina (CleanFeed), que apresentou na edição de 2019 do ciclo Julho é de Jazz.
A 10 de julho, o ciclo receberá o quarteto de junta em palco Rodrigo Amado (saxofone), Ricardo Toscano (saxofone), João Lencastre (bateria) e Hernâni Faustino (contrabaixo). O coletivo forma uma das mais interessantes formações dos últimos tempos no jazz nacional.
Outro concerto encomendado pelo gnration irá proporcionar um encontro entre duas diferentes gerações do jazz português. O pianista João Paulo Esteves da Silva, um dos músicos jazz mais ativos no país e possuidor de uma longa e respeitada carreira, subirá ao palco da blackbox com baterista Pedro Melo Alves, um dos mais promissores nomes do jazz nacional, conhecido também pelo seu trabalho com o grupo The Rite of Trio. O concerto está agendado para a noite de 17 de julho.
O encerramento do ciclo Julho é de Jazz caberá aos Lokomotiv, grupo fundado e liderado pelo contrabaixista Carlos Barretto. Com mais de 20 anos de carreira, os Lokomotiv são uma das mais antigas formações jazz no ativo em Portugal. Carlos Barretto, Mário Delgado (guitarra) e José Salgueiro (bateria e percussões) sobem ao palco a 24 de julho.
O ciclo Julho é de Jazz apresentou nos últimos anos alguns dos nomes maiores da atualidade do jazz. Nubya Garcia, Peter Evans, The Bad Plus, Peter Brötzmann, Get The Blessing, Steve Noble, Joe Morris ou Evan Parker são alguns dos internacionais que passaram por Braga. Os portugueses Carlos Bica & João Paulo Esteves da Silva, Rodrigo Amado Motion Trio, Bruno Pernadas, Hugo Carvalhais e João Guimarães, entre outros, representaram o jazz nacional.
Os bilhetes custam 7 euros para cada concerto ou 25 euros para todos os concertos. Os concertos têm início pelas 22 horas.
Sexta edição do ciclo que apresenta alguns dos melhores nomes do jazz contemporâneo divide-se este ano por quatro sextas-feiras.
Também nesta sexta-feira, a galeria gnration do gnration acolherá a estreia de uma nova exposição do artista e investigador português Diogo Tudela. Através de um estudo comparativo baseado em modelos computacionais, vídeo e som, a exposição vocal tract / black hole / vent shaft (part I) pretende articular possíveis dinâmicas entre o carácter do abismo vocal e do buraco negro. A exposição inaugura pelas 21 horas e estará patente até 3 de outubro. A entrada é gratuita.
Com o ciclo Julho é de Jazz, o gnration marca o regresso à atividade com um programa cultural bimestral, ao contrário da habitualmente adotada periodicidade trimestral, alteração imposta pela situação pandémica. Além da sexta edição do ciclo Julho é de Jazz, do programa para os meses de julho e agosto fazem também parte a quinta edição do Cinema no Pátio, uma nova exposição do artista e investigador português Diogo Tudela e oito residências artísticas dos projetos vencedores do programa de apoio à criação artística Laboratórios de Verão.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho