Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Ciclo Julho é de Jazz recebe encontro único entre referências do jazz nacional
Alto Minho aposta no turismo equestre

Ciclo Julho é de Jazz recebe encontro único entre referências do jazz nacional

Ponte da Barca: Freguesia de Vade S. Tomé vai ter novo abrigo de passageiros

  Ciclo Julho é de Jazz recebe encontro único entre referências do jazz nacional

Braga

2020-07-13 às 16h16

Redacção Redacção

O fim do ciclo Julho é de Jazz encerra a 24 com os Lokomotiv, grupo fundado e liderado pelo contrabaixista Carlos Barretto, que conta ainda com Mário Delgado (guitarra) e José Salgueiro (bateria e percussões). Com mais de 20 anos de carreira, os Lokomotiv são uma das mais antigas formações jazz no ativo em Portugal.

A convite do gnration, o pianista João Paulo Esteves da Silva e o baterista Pedro Melo Alves, dois músicos de diferentes gerações do jazz nacional, encontram-se em palco pela primeira vez esta sexta.

Depois de dois espetáculos esgotados entre o saxofonista britânico Andy Sheppard e o baterista português Mário Costa, e ainda o quarteto nacional de luxo formado por Rodrigo Amado, Ricardo Toscano, João Lencastre e Hernâni Faustino, o ciclo Julho é de Jazz recebe na próxima sexta-feira um encontro único que levará a palco o pianista João Paulo Esteves da Silva e o baterista Pedro Melo Alves. Os últimos bilhetes estão à venda.
Além de uma longa e muito respeitada carreira, João Paulo Esteves da Silva é ainda hoje um dos músicos jazz mais ativos no país. Filho de mãe pianista e pai filósofo, iniciou uma carreira no jazz ainda muito jovem. Com apenas 18 anos, em 1979, participa no Festival de Jazz de Cascais com o grupo Quinto Crescente, mas só em 1993 viria a gravar o seu primeiro disco em nome próprio, Serra Sem Fim (Farol). Três anos mais tarde conhece o produtor Todd Garfinkle, da editora M.A. Recordings, com quem inicia uma longa colaboração e da qual resultam seis discos. Em 2001, ano em que a colaboração com Todd chega ao fim, instigado por Carlos Bica, grava o seu primeiro solo de piano, Roda (L’Empreinte Digitale). Dois anos depois começa a gravar para editora Cleanfeed, onde tem já um legado de quatro disco, incluindo Scapegrace, em duo com Dennis González. Ao longo da carreira, entre concertos e discos, colaborou com inúmeros músicos nacionais e estrangeiros, onde se destacam os nomes de Ricardo Rocha, Carlos Bica e Peter Epstein, entre outros. Em paralelo, juntou-se a projetos de cantores e cantoras como Vitorino, Sérgio Godinho, Cristina Branco ou Ricardo Ribeiro.
Aos 29 anos, Pedro Melo Alves é já um dos mais promissores nomes do jazz nacional. Distinguido com o Prémio de Composição Musical Bernardo Sassetti em 2016, músico do ano de 2017 para a revista jazz.pt e galardoado com a quinta edição do italiano Premio Internazionale Giorgio Gaslini, o baterista e percussionista estabelece a sua atividade entre a música contemporânea e as correntes experimentais mais alternativas. Integra e lidera os projetos jazz Omniae Ensemble, The Rite of Trio e In Igma, e ainda projetos eletroacústicos como o seu solo O, o trio Symph e o duo CACO.MEAL, este último resultante do programa de apoio à criação artística do gnration, Laboratórios de Verão. Compõe ainda música erudita e banda sonoras para teatro e dança.
O duo sobe ao palco da Blackbox já esta sexta-feira, 17 de julho, pelas 22 horas. Os bilhetes custam 7 euros. Os passes-gerais estão já esgotados.

O fim do ciclo Julho é de Jazz encerra a 24 com os Lokomotiv, grupo fundado e liderado pelo contrabaixista Carlos Barretto, que conta ainda com Mário Delgado (guitarra) e José Salgueiro (bateria e percussões). Com mais de 20 anos de carreira, os Lokomotiv são uma das mais antigas formações jazz no ativo em Portugal.
O ciclo Julho é de Jazz apresentou nos últimos anos alguns dos nomes maiores da atualidade do jazz. Nubya Garcia, Peter Evans, The Bad Plus, Peter Brötzmann, Get The Blessing, Steve Noble, Joe Morris ou Evan Parker são alguns dos internacionais que passaram por Braga. Os portugueses Carlos Bica & João Paulo Esteves da Silva, Rodrigo Amado Motion Trio, Bruno Pernadas, Hugo Carvalhais e João Guimarães, entre outros, representaram o jazz nacional.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho