Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Colégio D. Diogo de Sousa sobe ao 2.º lugar do ranking nacional
Póvoa de Lanhoso: Biblioteca com serviço online em Agosto

Colégio D. Diogo de Sousa sobe ao 2.º lugar do ranking nacional

Agrupamento de Nogueira: Aumentar efectivo é objectivo prioritário

Colégio D. Diogo de Sousa sobe ao 2.º lugar do ranking nacional

As Nossas Escolas

2020-06-28 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Colégio Dom Diogo subiu ao 2.º lugar no ranking dos exames nacionais relativo ao ensino secundário. A escola pública do distrito melhor posicionada é a Secundária Padre Benjamim Salgado, de Famalicão.

O Colégio D. Diogo de Sousa volta a ser o estabelecimento de ensino do distrito de Braga melhor classificado no ranking do ensino secundário elaborado a partir dos resultados dos exames nacionais de 2019. Esta escola privada destaca-se mesmo a nível nacional, ocupando o 2.º lugar de um ranking liderado por um colégio do Porto.
Segundo o ranking da Católica Porto Business School para o jornal ‘Público’, no distrito de Braga a escola pública melhor posicionada no ranking nacional é a Secundária Padre Benjamim Salgado, de Vila Nova de Fama- licão, em 47.º lugar.

Aliás, das dez escolas do distrito melhor posicionadas no ranking nacional, apenas três são públicas. Além da escola famalicense, destacam-se a Secundária Carlos Amarante, de Braga, em 60.º lugar, e a Escola Básica de Vale de Este, de Barcelos, em 79.º lugar.
Completam este top 10 distrital o Colégio João Paulo II, de Braga (em 33.º lugar a nível nacional); a Didáxis, de Famalicão (44.º); o Colégio do Ave, de Guimarães (52.º); o Colégio La Salle, de Barcelos (53.º); a Alfacoop - Externato Infante D. Henrique, de Braga (78.º); e a Didálvi - Cooperativa de Ensino de Alvito, de Barcelos (80.º).

Além dos dez estabelecimentos de ensino referidos, o distrito de Braga conseguiu ainda colocar mais quatro escolas no top 100 do ranking nacional relativo ao exames do ensino secundário. São elas a Secundária Camilo Castelo Branco, de Famalicão (81.º), a Secundária D. Sancho I, também de Famalicão (87.º), a Escola Básica e Secundária de Vila Cova, Barcelos (94.º) e a Escola Secundária de Barcelos (99.º).

Distrito com 10 escolas no top 100

O Dom Diogo de Sousa lidera também o ranking distrital elaborado a partir dos resultados dos exames nacionais do 9.º ano. Surge em 6.º lugar no ranking nacional.
Segue-se o Conservatório de Música de Barcelos, em 9.º lugar do ranking nacional, e o Colégio Nossa Senhora da Conceição, de Guimarães, em 17.º.
O Conservatório Calouste Gulbenkian, de Braga, é a escola pública do distrito melhor posicionada no ranking, surgindo em 32.º lugar.

Seguem-se mais quatro estabelecimentos de ensino privados: Colégio do Ave, de Guimarães (44.º); Colégio João Paulo II, de Braga (55.º); Cooperativa de Ensino Didálvi, de Barcelos (63.º); e Colégio da Associação C. R. de Fornelos, de Fafe (86.º).
O top 10 distrital fecha com duas escolas públicas: a Escola Secundária Carlos Amarante, de Braga (91.º) e a Escola Básica e Secundária de Vila Cova, Barcelos (93.º).

Colégio do Minho lidera no Alto Minho

No Alto Minho, o Colégio do Minho, de Viana do Castelo, também lidera o ranking distrital do secundário e do terceiro ciclo.
No caso do secundário, o Colégio do Minho surge em 86.º a nível nacional. A escola pública melhor posicionada é a Escola Secundária de Ponte de Lima, em 92.º do ranking nacional.
Já no ranking nacional dos exames do 9.º ano, o Colégio do Minho surge em 88.º. A escola pública melhor posicionada é a Escola Básica Frei Bartolomeu dos Mártires, de Viana do Castelo, em 95.º lugar.

Distrito no top3 - Biologia e Geologia
Quatro em cada dez escolas do ensino secundário tiveram média negativa no exame nacional de Biologia e Geologia em 2019, piorando os resultados em relação ao ano anterior, segundo dados do Ministério da Educação.
Porto, Coimbra e Braga são os três distritos com melhores desempenhos médios nesta prova.

Directores de escolas
“Rankings devem ser confinados ao seu lugar relativo”

A Associação Nacional de Directores defendeu que os ‘rankings’ devem ser “confinados ao seu lugar relativo”, sublinhando que a avaliação das escolas não deve ser feita apenas através das notas nos exames nacionais.
No dia em que voltam a ser divulgadas listas e análises sobre os resultados académicos dos alunos e em que as escolas voltam a ser ordenadas tendo em conta médias nos exames e taxas de sucesso académico, os directores escolares criticam que a avaliação das escolas se resuma a olhar para as notas no final do ano. “Cada vez mais devemos confinar os ‘rankings’ ao seu lugar relativo”, afirmou o presidente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Agrupadas à Lusa. Filinto Lima considera que existem outros instrumentos que conseguem avaliar melhor o trabalho realizado nas escolas, como é o caso dos ‘Percursos Directos de Sucesso’.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho