Correio do Minho

Braga,

- +
Colégio Dom Diogo de Sousa celebra Primeira Comunhão de 204 alunos
Caminha com cinco bandeiras azuis confia em época balnear excepcional

Colégio Dom Diogo de Sousa celebra Primeira Comunhão de 204 alunos

Sector do Turismo sairá reforçado da pandemia

Colégio Dom Diogo de Sousa celebra Primeira Comunhão de 204 alunos

Braga

2021-06-04 às 06h00

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Numa cerimónia devidamente autorizada pela autoridade de saúde, 204 alunos do Colégio Dom Diogo de Sousa celebraram ontem a Primeira Comunhão. O Estádio Municipal foi o palco da missa campal.

O feriado do Corpo de Deus foi dia de festa para a família do Colégio Dom Diogo de Sousa. O estádio municipal de Braga foi palco da missa campal onde, ontem de manhã, 204 crianças realizaram a primeira comunhão.
Foi em ambiente de festa que meninos e meninas dos 3.º e 4.º anos receberam pela primeira vez a hóstia consagrada, momento especial que certamente ficará para sempre nas suas memórias.
“No ano passado não nos foi possível fazer a celebração da Primeira Comunhão, devido à pandemia. Assim, este ano estamos a celebrar a Primeira Comunhão de dois anos, o que corresponde a 204 crianças”, explicou António Araújo, administrador do Colégio Dom Diogo de Sousa, em declarações ao ‘Correio do Minho’.
O estádio municipal foi o palco desta grande celebração religiosa, uma opção que permitiu realizar a cerimónia e garantir o cumprimento de todas as normas impostas pela autoridade de saúde.
“Não temos em Braga nenhuma igreja com capacidade para albergar as 204 crianças e respectivas famílias. Aqui, no estádio municipal, temos todas as condições para realizar uma celebração ao ar livre e com área para garantir o distanciamento social não só entre as crianças, mas também entre famílias”, explica António Araújo.
O administrador explica ainda que para realizar a cerimónia de ontem, o Colégio pediu autorização à saúde pública, que não se opôs desde logo porque a celebração decorre ao ar livre e cumprindo integralmente todas as regras de segurança.
Não foi fácil montar uma cerimónia desta envergadura, mas, no final, tudo decorreu como previsto e quem participou retém na memória a beleza dos vários momentos da celebração.
As crianças assistiram à missa campal em pleno relvado, onde foi montado o altar a partir de onde padre Cândido Azevedo de Sá, director do colégio, presidiu à eucaristia. Também no relvado ficaram os 100 alunos, ex-alunos e professores que integram o coro do colégio e que abrilhantaram a celebração.
Os familiares, cerca de três mil, ficaram espalhados na bancada do estádio.
As famílias inscreveram-se previamente, sendo que no acto de inscrição foram advertidas para a obrigatoriedade de cumprir as regras, nomeadamente não mudar de lugar, manter o distanciamento social e usar máscara de protecção.
António Araújo — que agradece a colaboração do Sporting Clube de Braga e da Câmara Municipal de Braga para o evento — admite que “deu muito trabalho” organizar a distribuição das famílias.
“Foram 14 horas de trabalho”, lembra, realçando que o esforço “valeu a pena” para conseguir manter cada família na sua bolha.
Encaminhar as famílias para os respectivos lugares marcados foi tarefa assumida por alunos do 9.º ano que se voluntariaram para ajudar na logística do evento.
Ao nosso jornal revelaram que não se verificou qualquer contratempo, com os familiares a acatarem as orientações.
Os familiares aplaudiram a organização. “Está tudo bem organizado. Sinto-me perfeitamente segura”, confessou Maria de Lurdes Gomes, que foi assistir à comunhão da neta Salomé. “Já era para ter sido no ano passado, mas não foi possível. Vai fazer hoje a primeira comunhão e está muita entusiasmada, não só pela missa, mas também pela festa”, revelou.
De realçar que para lá da vertente religiosa, estas celebrações acabam também por ser importantes para a economia local, uma vez que tradicionalmente as famílias, depois da celebração juntam-se para conviver em restaurantes ou quintas da região. Tendo o sector sido dos mais afectados pela pandemia, percebe-se que estas celebrações são também importantes para ajudar a alavancar a retoma da restauração.
Tradicionalmente, o Colégio Dom Diogo de Sousa celebra a Primeira Comunhão dos seus alunos no primeiro domingo de Maio, dia da Mãe. Os tempos em que vivemos obrigaram a alterações, mas a homenagem às mães também marcou a fase final da bonita celebração de ontem.
Também mais tarde do que o habitual, “provavelmente em Setembro ou Outubro”, vão realizar as Profissões de Fé e o Crisma dos alunos deste colégio. Os moldes das celebrações serão definidos de acordo com a situação que se viver na altura.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho