Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Comboio Porto-Corunha pode iniciar viagens em Julho de 2019
“Vale de Lamaçães é zona de fragilidade que pode agravar-se com a dinâmica climática”

Comboio Porto-Corunha pode iniciar viagens em Julho de 2019

Tiago Sá : “Saímos do Dragão com a consciência tranquila de que fizemos tudo”

Nacional

2018-09-21 às 12h00

José Paulo Silva

Eixo Atlântico aplaude investimento da ‘Arriva’ na nova ligação ferroviária entre Porto e Corunha. Comboios com paragens em Nine e Valença podem começar a circular em menos de um ano.

A empresa ‘Arriva’ estima obter autorização rápida das entidades espanholas e portuguesas para iniciar a exploração de uma nova ligação ferroviária Corunha-Porto em Julho de 2019, avançou ontem, em Vigo, o CEO da Arriva Espanha, Juan Ignacio García de Miguel.
Aquele operador de transportes aproveitou a liberalização do transporte ferroviário internacional de passageiros para operar entre aquelas duas cidades do noroeste peninsular, com quatro frequências diárias nos dois sentidos e paragens intermédias em Santiago de Compostela, Pontevedra, Vigo, Valença e Nine. Para uma segunda fase está prevista também uma paragem em Viana do Castelo.

No final de uma reunião com o secretário-geral da Associação Eixo Atlântico, Xoan Mao, e Miguel Rodríguez Bugarín, especialista em infraestruturas ferroviárias da Universidade da Corunha, o responsável da Arriva Espanha sublinhou que a empresa pretende aproveitar o potencial de um corredor trans- fronteiriço por onde circulam anualmente cerca de 11 milhões de pessoas.
Turistas e estudantes são duas classes de passageiros que a operadora privada pretende captar com a exploração da nova linha internacional, considerando Juan Ignacio García de Miguel que a Arriva não pretende retirar mercado à CP e Renfe, empresas que operam neste corredor ferroviário, antes incrementar a oferta do transporte de passageiros por ferrovia.

Os 342 quilómetros que separam as estações de Porto-Campanha e Corunha poderão ser percorridos em 2 horas e 46 minutos com um custo para o passageiro, “muito mais competi- tivo”.
O CEO da Arriva Espanha e o director-geral da Arriva Galicia, Juan Goméz Piña, não se comprometem plenamente com o início da operação Porto-Corunha antes da obtenção de autorização da Comisión Nacional de los Mercados y la Competencia (CNMC), a autoridade reguladora espanhola. Esperam que a ‘luz verde’ possa surgir dentro de um mês, mês e meio.
“A nosso pedido, o regulador espanhol anunciou que a linha Corunha - Porto é uma linha internacional. Decisão que não registou qualquer reclamação por parte das entidades interessadas ou do Estado espanhol, nem de nenhum outro agente português”, declarou Juan Ignacio García de Miguel.

No encontro de ontem, na sede do Eixo Atlântico, foi analisado o estado da infra-estrutura ferroviária entre as cidades galegas de Corunha e Vigo.
Embora a maior parte da linha galega já esteja electrificada, o que permite atingir altas velocidades, o troço de cerca de oito quilometros entre Arcade e Redondela ainda não teve esta melhoria, tal como o percurso entre as localidades de Tui e Guillarei, circunstâncias que farão aumentar ligeiramente o tempo de viagem originalmente previsto pela Arriva.
Actualmente, o serviço ferroviário de passageiros entre o?Norte de Portugal e a Galiza é assegurado pelo comboio Celta, operado em conjunto pela CP e pela Renfe entre Porto-Campanhã e Vigo, com paragens intermédia em Valença, Viana do Castelo e Nine.
Esta ligação percorre 175 quilómetros em duas horas e 15 minutos. Antes de 2013, a viagem demorava mais de três horas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.