Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Contextile 2020 entra na recta final
Câmara mantém disponibilidade para ceder Confiança

Contextile 2020 entra na recta final

AGERE renova certificação de Ambiente e Segurança com migração normativa

Contextile 2020 entra na recta final

Vale do Ave

2020-10-17 às 20h21

Redacção Redacção

A mais importante mostra de Arte Têxtil Contemporânea mantém a sua Exposição Internacional no Palácio Vila Flor

Já só faltam poucos para o encerramento da Contextile 2020, que desde 5 de setembro tem reunido pelos vários espaços culturais e áreas públicas da cidade de Guimarães o que melhor se faz ao nível da arte têxtil contemporânea.

‘Wallpaper & wall hanging’, da estoniana Krista Leesi, distinguida com o Prémio de Aquisição no decorrer desta Contextile 2020 ilustra bem a excelência desta Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, que na sua Exposição Internacional, patente no Centro Cultural Vila Flor, reuniu 59 obras de 50 artistas de 30 países, de um conjunto de quase 1200 obras de cerca de 900 artistas de 65 países, que responderam à OpenCall que teve como referência o conceito temático ‘Lugares de Memória’.

Mas a excelência desta Contextile 2020, que em tempos de pandemia e contra todas as perspetivas foi em frente e soube vincar o seu enorme prestígio não só testemunhado pela enorme participação de artistas de todo o Mundo, bem como pela passagem e visita a esta 5ª edição da Bienal de tão ilustres personalidades como o Primeiro Ministro e Ministro da Economia, entre muitos outros, vai muito mais além que o aspeto técnico e plástico das obras em exposição, dado que está subjacente a esta Bienal de Arte Têxtil Contemporânea a sua intrínseca ligação a Guimarães, como Território de Cultura Têxtil.

Daí que esta Contextile 2020, à semelhança das 4 edições anteriores, se estende por outros espaços públicos da cidade, como o Convento de Santo António dos Capuchos onde estão as ‘Residências Artísticas’ em parceria com a plataforma Magic Carpets e a Bienal Internacionale du Lin de Portneuf (BLIP), bem como o artista convidado Stephen Schofield (Quebec, Canadá), enquanto a outra artista convidada, Magda Sobo? (Polónia), tem os seus trabalhos expostos no Centro para os Assuntos da Arte e da Arquitetura. Já o Instituto de Design acolhe a mostra ‘Emergências, Educação e Criação Têxtil’ resultante do intercâmbio com as Escolas de Arte nacionais de ensino artístico têxtil, numa Bienal que em tempos de pandemia soube reinventar-se, respondendo, apesar dos enormes condicionalismos, à sua concretização no tempo e espaço a que estava destinada, mantendo os Textile Talks, Workshops, Cinema ao Ar Livre e Instalações Multimédia e de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde.

Assim, até 25 de outubro não faltam motivos para uma visita à Contextile 2020 - Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, que mais uma vez soube entrelaçar a tradição e inovação no têxtil com a cultura e a criatividade, projetando Guimarães como Território de Cultura Têxtil, como já vem sendo desde a sua primeira edição aquando da Capital Europeia da Cultura.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho