Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
COVID-19: Investigadores e profissionais portugueses desenvolvem solas de sapatos antivíricas para combater pandemia
Mercado Municipal de Famalicão reabre ao público após obras de renovação e de requalificação

COVID-19: Investigadores e profissionais portugueses desenvolvem solas de sapatos antivíricas para combater pandemia

BLCS evoca Victor de Sá em conferência

COVID-19: Investigadores e profissionais portugueses desenvolvem solas de sapatos antivíricas para combater pandemia

Economia

2021-03-21 às 13h13

Redacção Redacção

O SM4S – Safety Materials for Shoes é um projeto do consórcio CeNTI, ROPAR/ARCOPEDICO, Instituto Nacional de Engenharia Biomédica (INEB) e Centro Clínico Académico de Braga (2CA-Braga)

Sabia que o chão representa um veículo de contágio do coronavírus SARS-CoV-2?
E que as solas do calçado podem também ser um veículo de transmissão da doença COVID-19?
A solução pode estar nas solas de sapatos antivirais que estão a ser desenvolvidas pelo CeNTI, em parceria com a empresa portuguesa ROPAR/ARCOPEDICO, o Instituto Nacional de Engenharia Biomédica (INEB) e o Centro Clínico Académico de Braga (2CA-Braga). A inovação, inédita no setor, promete chegar em breve ao mercado.
Na base desta solução está a incorporação, em solas de sapato, de propriedades antivirais, antibacterianas e antifúngicas que, sem alterar as características mecânicas do material, permitirão travar, não só o contágio da atual pandemia, mas também a transmissão de outras bactérias e fungos, cujo grau de eficácia está já a ser explorado.
"A solução proposta consiste na aditivação de um ou mais constituintes das solas com agentes antivíricos, sem alteração das propriedades intrínsecas do material final, nomeadamente das suas características mecânicas. Desta forma, um dos meios mais propensos à transmissão do vírus estará controlado e ajudará no combate à COVID-19, sobretudo, em locais de acesso generalizado, como serviços de saúde ou comércio”, revelam os investigadores.
As solas antivíricas serão aplicadas em produtos da ROPAR/ARCOPEDICO, empresa do setor do calçado, mas com uma forte ligação ao setor da saúde. No âmbito deste projeto, a empresa é a responsável pela integração de formulações antivíricas no ciclo produtivo do calçado e por aferir as propriedades mecânicas das solas desenvolvidas.
Ao CeNTI compete a criação de soluções técnicas inovadoras, identificando e selecionando os aditivos com potencial para atingir os objetivos do projeto. É, ainda, responsável por desenvolver formulações funcionais com as propriedades pretendidas.
Para a criação desta solução são também determinantes os contributos do Instituto Nacional de Engenharia Biomédica (INEB), responsável pela validação das propriedades pretendidas, e do Centro Clínico Académico de Braga (2CA-Braga), que assume a realização de testes de uso num ambiente de importante relevância na transmissão de vírus, fungos e bactérias, como é o meio hospitalar.
As solas antivíricas, que garantem mais segurança aos utilizadores, deverão chegar ao mercado nacional e internacional. É, pelo menos, esta a expectativa do consórcio do Projeto SM4S – Safety Materials for Shoes. "Estamos ainda em fase de conclusão. Contudo, em breve, existe a intenção, por parte da empresa, de colocar o produto no mercado", revelam ainda os responsáveis do projeto.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho