Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Crença num futuro mais risonho para o bilhar
Guimarães “prepara-se para as mudanças que se adivinham”

Crença num futuro mais risonho para o bilhar

Famalicão: Campanha ‘Produto que é nosso’ prolongada até 23 de Agosto

Crença num futuro mais risonho para o bilhar

Desporto

2020-07-04 às 06h00

Carlos Costinha Sousa Carlos Costinha Sousa

João Roque é director da secção de bilhar do SC Braga e um dos maiores impulsionadores da modalidades na cidade. Vê a paragem provocada pela Covid-19 como muito prejudicial para o futuro, mas aponta caminhos para uma retoma segura e com promessas de crescimento e sucesso.

Apaixonado pelo desporto, seja em que modalidade for [ver caixa] João Roque é um exemplo daquilo que é a verdadeira ligação à prática desportiva, mas não só. Para além de ter sido atleta de várias modalidades, sempre encarou também o desporto na sua vertente de dirigismo.
Na actualidade, para além de trabalhar diariamente nas várias funções que ocupa na Associação de Futebol de Braga, dedica-se também ao bilhar, modalidade na qual é jogador, mas também dirigente desportivo, sendo um dos responsáveis pela secção de bilhar do Sporting Clube de Braga.
Ao Fórum de Desporto, João Roque falou da actualidade da modalidade, que enfrentou, como todas as outras, uma paragem que nada de benéfico trouxe, mas aponta para um futuro risonho, mas haja uma perspectiva de quando a actividade poderá recomeçar - nem que seja a 50 por cento - na prática da modalidade.
“Esta paragem motivada pela pandemia de Covid-19 não foi nada benéfica para o bilhar, como não o foi para todas as outras modalidades. Mas o bilhar, sendo uma modalidade de interior, ainda continua a ter mais limitações que outras que estão a retomar. Neste momento, estamos mesmo parados e isso, para além da influência que teve na temporada que decorria, vai ter certamente impacto na próxima época”, refere o dirigente do SC Braga, acrescentando que “a retoma vai acontecer, certamente, mas ainda estamos muito limitados quanto à definição de um período para podermos recomeçar”.
Mas, apesar de todo o sentimento negativo, João Roque vê um futuro risonho para o bilhar: “é uma modalidade que estava a ter um crescimento muito interessante e penso que vai voltar a ter. Estou confiante que vamos ter um futuro risonho na prática do bilhar e que a modalidade se vai desenvolver, com uma aposta grande por parte de vários clubes”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho