Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Criação zona de restauração, alargamento do horário e programa são as novidades da Agro 2010
Apresentação do livro "Uma Chance ao Destino" de Maria Inês Rodrigues

Criação zona de restauração, alargamento do horário e programa são as novidades da Agro 2010

Expectativa pelo anúncio dos reforços assegurados

Braga

2010-03-10 às 13h11

Lusa Lusa

A criação de uma zona de restauração, o alargamento do horário de funcionamento e o lançamento de um programa musicial de animação são as principais novidades da Agro 2010, disse fonte do Parque de Exposições de Braga.

O administrador Miguel Corais adiantou à Lusa que a criação de uma nova zona de restauração, uma espécie de festival de gastronomia, irá complementar a presença, já habitual, dos restaurantes especializados em pratos de carne de raças autóctones.

'Vamos ter duas zonas de restauração, uma mais virada para as raças autóctones e outra com mais cinco restaurantes', afirmou, frisando que a feira vai funcionar até às 23:00.

A AGRO - 43.ª Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação abre as portas na quinta feira às 10:00, no Parque Municipal de Exposições, onde decorre até domingo e tem, no sábado, a visita do Ministro da Agricultura, António Serrano.

O administrador-executivo do PEB disse que a AGRO mantém o nível de 2009, com o mesmo número de expositores, 197 entre nacionais e estrangeiros que irão ocupar uma área de 6.853 metros quadrados.

'Queremos que a AGRO volte a ser considerada a principal feira agrícola do país', salientou, lembrando que a atual administração do organismo apenas tomou posse em Novembro.

Miguel Corais acredita que 2010 será 'um ano de inversão' e que o evento tem margem para crescer.

'A Agro é uma feira que está no imaginário das pessoas, é uma marca muito forte e estas aspirações são legítimas', referiu, consciente da necessidade de alterações, de apoios institucionais e de parcerias.

Para conseguir que os visitantes habituais afluam ao certame - 40 mil em 2009 - a feira aposta na animação com a atuação de ranchos folclóricos, de grupos de música tradicional e ainda de Augusto Canário.

Apenas um dos espetáculos previstos, o de 'Quim Roscas e Zeca Estacionancio', a realizar no domingo, no auditório do PEB, terá bilheteira própria já que é organizado em parceria com uma produtora e serve para ajudar ao financiamento do certame, que tem custos de 140 mil euros. Os restantes são acessíveis a quem visitar o certame.

A feira mantém o sector da maquinaria agrícola, o salão do vinho e utilidades, os tradicionais concursos pecuários e o dia dedicado à Galiza.

***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho