Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
De tudo um pouco no leilão de perdidos e achados da PSP
Agrupamento de Nogueira: Aumentar efectivo é objectivo prioritário

De tudo um pouco no leilão de perdidos e achados da PSP

Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva conta ‘histórias aqui e ali’

De tudo um pouco no leilão de perdidos e achados da PSP

Casos do Dia

2020-03-04 às 06h00

José Paulo Silva José Paulo Silva

Comando de Braga da PSP realizou ontem leilão de objectos perdidos e achados. Bens não foram reclamados dentro do prazo legal pelos seus proprietários.

Um carrinho de bebé, carteiras, bicicletas, livros, mochilas, peças de vestuário, pequenos electrodomésticos e, claro, dezenas de guarda chuvas fizeram parte do espólio de objectos perdidos e achados, leiloados ontem pelo comando distrital de Braga da PSP. Pelas instalações da Junta de Freguesia da Sé não foram muitos os que passaram para licitarem objectos que estiveram à guarda da PSP durante o último ano, mas os que participaram no leilão tiveram a oportunidade de adquirir bens a preços de ocasião.
Pelas melhores ofertas foram arrematados objectos entregues por várias entidades e cidadãos nas esquadras policiais do distrito de Braga. Foram vendidos bens de reduzido ou quase nulo valor comercial, como livros usados ou mochilas escolares, a outros mais valiosos, nomeadadamente jóias de ouro ou prata.
Ao contrário do que seria de supor, nas esquadras da PSP em Braga, Barcelos, Vila Nova de Famalicão e Guimarães são entregues muitas peças de ouro e prata encontradas em espaços públicos e que não são reclamados pelos seus proprietários, acabando por ser leiloados por terceiros.
Malas de viagem estiveram também na licitação pública realizada pela PSP, após ter sido ultrapassado o prazo legal para reclamação dos bens por parte dos seus legítimos proprietários.
Um carrinho de bebé terá sido o achado mais inusitado no leilão de ontem, se bem que a PSP de Braga já tenha posto a licitação, em iniciativa anterior, uma escova de dentes eléctrica
Os Transportes Urbanos de Braga (TUB) são o principal ‘fornecedor’ de perdidos e achados da PSP, já que nos autocarros da transportadora são esquecidos frequentemente pelos passageiros um número relevante de objectos pessoais.
No que diz respeito a peças de vestuário em bom estado, muitas vezes a PSP faz a sua doação a instituições de solidariedade social.
No leilão de ontem não foram apresentados bens apreendidos no âmbito de operações policiais, uma vez que, nestas situações, os materiais são confiados aos tribunais que lhes dão o destino mais adequado.
A receita apurada com o leilão de ontem reverteu para os Serviços Sociais da PSP.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho