Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Dérbi de loucos quebra jejum dos Guerreiros do Minho
Vizela: Câmara instala máquinas de venda de máscaras no concelho

Dérbi de loucos quebra jejum dos Guerreiros do Minho

Preparação do novo ano exigiu “motivação e muita imaginação”

Dérbi de loucos quebra jejum dos Guerreiros do Minho

Desporto

2020-06-26 às 06h00

Joana Russo Belo Joana Russo Belo

SC Braga voltou aos triunfos nesta fase pós-quarentena, ao vencer o Vitória SC, por 3-2. Dérbi intenso, a justificar a rivalidade histórica dos dois clubes, com um golo supersónico, reviravoltas, uma obra de arte de Trincão e um golo decisivo de Galeno.

Não há fome de golo e de triunfo que não dê em fartura. Num dérbi de loucos, o SC Braga quebrou o jejum pós-quarentena ao vencer o Vitória SC e olha de novo para o pódio da I Liga, onde está instalado de forma provisória pressionando o Sporting, que apenas hoje entra em campo no fecho desta 28.ª jornada. Na luta pela Europa, os vimaranenses atrasam-se, já os guerreiros vêem de novo o terceiro lugar no horizonte.
Grande jogo de futebol na pedreira, com uma primeira parte espectacular que bem valia o preço do bilhete caso as bancadas pudessem ter adeptos: quatro golos, uma reviravolta, um golaço de Trincão digno de antologia, num verdadeiro dérbi de loucos a fazer jus à rivalidade histórica dos dois emblemas minhotos.

A emoção começou logo no primeiro minuto. O SC Braga entrou a todo o gás, com Paulinho supersónico a colocar os guerreiros na frente. Sequeira lançou Galeno em velocidade e o brasileiro cruzou para Paulinho, que atirou de primeira para o fundo das redes, naquela que foi a primeira jogada do encontro, aos 57 segundos. Entrada de sonho para os bracarenses. E o segundo golo mais rápido do campeonato.
O Vitória SC reagiu à entrada eficaz da equipa da casa, Ola John atirou a rasar o poste e, aos 13 minutos, o azar bateu à porta de André Horta, num lance com André André. O capitão vimaranense foi derrubado na área e Tiago Martins apontou grande penalidade, confirmada pelo VAR. Matheus ainda adivinhou o lado e tocou na bola, mas não foi capaz de travar o remate de André André.
O empate lançou a equipa de Guimarães, que cresceu na partida e viu Evangelista e Davidson ameaçarem a baliza bracarense, até que Bruno Duarte cabeceou para a reviravolta no marcador, após grande jogada de Ola John pela esquerda. A bola bateu no poste direito e entrou caprichosamente dentro das redes.

O marcador voltou a mexer ainda antes do intervalo, num golo soberbo daqueles momentos que merecem repetição vezes sem conta: Trincão recebeu a bola de Horta e rematou de pé esquerdo em arco, à entrada da área, directo ao ângulo superior da baliza de Douglas. Golaço deixou o guardião pregado ao relvado. Autêntica obra de arte!
O ritmo intenso da primeira metade quebrou um pouco após o reatamento, com o SC Braga a subir de rendimento e a justificar o terceiro golo, que deu o triunfo. Passividade da defesa vimaranense aproveitada da melhor forma por Galeno. O brasileirogalgou terreno até à entrada da grande área e rematou potente para o fundo das redes.
O Vitória não baixou a guarda e procurou novamente o empate. Mas Matheus segurou a vantagem com uma grande defesa após cabeceamento de Venâncio.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho