Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Dulce Félix e Hermano Ferreira correm 22.ª Meia Maratona Manuela Machado
Faltam uma verdadeira soberania e liderança à União Europeia

Dulce Félix e Hermano Ferreira correm 22.ª Meia Maratona Manuela Machado

Residência universitária pronta para acolher utentes de lares

Dulce Félix e Hermano Ferreira correm  22.ª Meia Maratona Manuela Machado

Desporto

2020-01-11 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Quatro mil atletas são esperados dia 19 de Janeiro na meia maratona e na caminhada de 5 km. Prova também conta para calendário de Espanha. Há quem venha preparar para tentar Tóquio 2020.

Ana Dulce Félix, que esteve em 2016 nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e ainda procura uma vaga para Tóquio 2020, vai ser uma das favoritas na corrida feminina da 22.ª Meia Maratona Manuela Machado, a disputar, no dia 19 de Janeiro, em Viana do Castelo.
Na corrida masculina, pende para Hermano Ferreira, que se sagrou vencedor em 2019 uma boa dose de favoritismo, mas Paulo Gomes, o brasileiro Paulo Paula, bem como os vianenses Miguel Ribeiro, que venceu em 2018, e Ricardo Dias, poderão ter uma palavra a dizer. “Vários dos atletas vêm tentar mínimos para os Jogos Olímpicos”, disse Manuela Machado, ontem, na apresentação da 22.ª edição da prova que este ano volta a partir, às 10.30 horas, junto ao Centro Cultural, para cumprir o mesmo percurso, com passagem em Cardielos e volta à cidade passando junto à Ponte Eiffel, para uma distância de 21.095 metros, que é homologada pela federação Portuguesa de Atletismo.

“Quero que seja uma festa”, vincou a campeã mundial de Gotemburgo, explicando haver muitos atletas que, sem competir pelas posições cimeiras, correm por melhorar os seus próprios tempos individuais e daí terem a sua própria festa se, em cada ano, fizerem menos segundos do que no ano anterior.
José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, abriu ontem a sessão de apresentação à comunicação social considerando Manuela Machado “a grande referência” do desporto vianense e lembrando que a ex-maratonista tem agora responsabilidades num projecto de formação com os mais novos.

“Ela é, como agora se costuma dizer, o nosso front-office”, vincou. O edil salientou a visibilidade transnacional da prova e considerou que já é “a maior prova transfronteiriça que se disputa em Portugal”, sublinhando que também já integra o calendário da Real Federação Espanhola de Atletismo.
Do país vizinho, com incidência maior na Galiza, esperam-se cerca de mil atletas. No total, entre corrida e caminhada, a organiza estima quatro milhares a animar a ‘Princesa do Lima’.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho