Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
“Educar alunos excelentes é prepará-los para serem capazes de fazer coisas novas”
Antas acolhe arboreto com 20 espécies florestais

“Educar alunos excelentes é prepará-los para serem capazes de fazer coisas novas”

Na ‘luta’ para fazer do SC Braga uma referência

“Educar alunos excelentes é prepará-los para serem capazes de fazer coisas novas”

Ensino

2019-05-23 às 06h00

Paula Maia Paula Maia

A UMinho distinguiu, ontem, 218 alunos com Bolsas de Excelência, num investimento que ultrapassou os 200 mil euros. A vice-reitora referiu que educar um aluno excelente é prepará-lo para pensar e para que contribua para o progresso da humanidade

“Ser um aluno excelente é, acima de tudo, ter capacidade e inteligência para se adaptar eficazmente às mudanças na universidade e fora dela”. As palavras são da vice-reitora para a Educação da UMinho, Laurinda Leite, que durante a cerimónia de entrega de Bolsas de Excelência a 218 estudantes da academia, que decorreu ontem no Largo do Paço, elogiou o papel de todos os elementos da comunidade educativa no percurso académico destes estudantes.
Os alunos distinguidos com a Bolsa de Excelência são provenientes de todas as licenciaturas e mestrados integrados com a melhor nota de candidatura e de cada ano do respectivo curso, desde de que igual ou superior a 16 valores, recebendo uma bolsa de valor pecuniário igual ao da propina e o respectivo diploma.

A atribuição das Bolsas de Excelência iniciaram em 2012 com, a atribuição de 39 prémios. este ano foram atribuídos 218, num investimento que ultrapassou os 200 mil euros.
Se a UMinho tem “muitos” alunos excelentes, é porque, segundo a vice-reitora para a Educação, recebe alunos excelentes, tem professores excelentes e se preocupa em criar condições excelentes para a sua formação.
Considerando que um estudante excelente não é aquele que tem apenas um “conhecimento fora de série”, mas o que se consegue adaptar às constantes mudanças, Laurinda Leite afirma que educar alunos excelentes não é apenas ensinar factos, fórmulas ou teorias mais ou menos complexas, na expectativa de que repitam, na perfeição, o que outras gerações fizeram ou descobriram. “Educar alunos excelentes é preparar as suas mentes para pensarem, serem capazes de fazer coisas novas e, desejavelmente, contribuírem para o progresso sustentável da humanidade”.

“Os alunos que hoje premiamos são alunos capazes de usarem o que sabem e aprender o que for preciso para criar coisas novas”, prossegue a vice-reitora, agradecendo, uma vez mais, aos professores capazes de “criarem ambientes de aprendizagens desafiadores” de modo a permitir aos alunos “aprenderem a aprender, a desenvolverem a sua inteligência”.
A responsável não esqueceu também os técnicos e administrativos da academia minhota e às famílias que decidiram investir no futuro dos seus filhos e o confiarem à UMinho.

Enaltecendo o papel que a UMinho ocupa hoje no panorama local, nacional e mundial, o reitor diz que o percurso da academia minhota - espelhado também na excelência dos seus estudantes - resulta do envolvimento de uma vasta comunidade composta por cerca de duas mil pessoas, entre estudantes, professores, trabalhadores técnicos, administrativos que “têm dado um contributo inestimável” à instituição “que se revê nos seus melhores, que reconhece e estimula o mérito”.

Corroborando as palavras da vice-reitora para a Educação, Rui Vieira de Castro rendeu um tributo aos professores, investigadores, unidades orgânicas, reconhecendo também o trabalho das escolas básicas e secundárias pelo papel que desempenharam na preparação destes alunos, sem esquecer as suas ainda as suas famílias.
Falando numa perspectiva mais alargada e indissociável na comunidade onde se insere, o reitor da UMinho pretende que os ex-alunos sejam “um corpo essencial da nossa instituição”. E foi na base desta importância que a cerimónia de integrou uma mesa redonda onde ex-alunos com percurso de sucesso deixaram conselhos aos premiados.
Além das Bolsas de Mérito, foram também atribuídas 34 bolsas de estudo por mérito do Ministério da Ciência,?Tecnologia e Ensino Superior.
Seis alunos foram ainda distinguidos com o prémio ‘Caixa Mais Mundo’, da CGD.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.