Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
“Esposende é território criativo”
Bilhetes para SC Braga-AEK hoje à venda

“Esposende é território criativo”

Câmara mantém disponibilidade para ceder Confiança

“Esposende é território criativo”

Cávado

2020-09-27 às 09h00

Miguel Viana Miguel Viana

Mural ‘(A)braços com o Mar’, da autoria de Luís Canário Rocha, foi inaugurado na Avenida Marginal, inserido no projecto ‘Amar o Minho’. Autor diz que se trata de uma homenagem às gentes de Esposende.

“Esposende desenvolveu uma estratégia de desenvolvimento onde a arte de rua tem uma papel fundamental”. A frase foi proferida por Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende, na inauguração do mural ‘(A)braços com o Mar’, ontem, na Avenida Marginal.
A obra, da autoria do artista vimaranense Luís Canário Rocha, vai embelezar um dos espaços públicos da cidade. “É uma obra fantástica, que vai fazer uma leitura muito correcta daquilo que são as raízes das gentes do nosso município. É uma obra que homenageia todos os esposendenses”. Benjamim Pereira aproveitou a ocasião para relembrar a aposta municipal em diferentes áreas da cultura, desde o projecto artístico ‘Criarte’ até prémios literários e de arquitectura, como é o caso do Prémio Viana de Lima. “Entendemos a cultura na sua dimensão intelectual, na beleza, mas também do ponto de vista económico, tendo a certeza de que se formos construindo esta mostra pública de arte, ela um dia transformar-se-à num acto económico importante que fará o que as pessoas visitem Esposende”, destacou o autarca
O artista Luís Canário Rocha explicou que o mural foi inspirado nas gentes de Esposende. “Esposende tem tudo, mar, rio, pinhal e o mural é inspirado nessas três características e nas pessoas. Desde a vista aérea do estuário do Cávado, que foi o que mais me inspirou, e depois com as estruturas, que parecem cubos metálicos, que trazem força. Estas raízes de Esposende têm a ver com isso, com as pessoas que fazem com que as tradições durem para sempre”, explicou o artista. Helena Mendes Pereira, directora e curadora da ‘zet gallery’ friosu que a obra de arte surgiu “no âmbito do programa de Residências Artísticas do projecto ‘Amar o Minho’ promovido pelo consórcio ‘MINHO.IN’ constituído pelas comunidades intermunicipais do Alto Minho, do Ave e do Cávado”. O programa ‘Residências Artísticas’ já permitiu colocar obras de arte em espaços públicos de Famalicão, Guimarães, Melgaço, Bar

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho