Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Esposende pede intervenção “urgente e definitiva” na barra
Câmaras ou governo deviam assumir ferrovia Braga-Guimarães

Esposende pede intervenção “urgente e definitiva” na barra

ACB inaugurou Academia de Restauração

Esposende pede intervenção “urgente e definitiva” na barra

Cávado

2019-11-22 às 06h00

Redacção Redacção

Câmara pediu ao Ministério do Ambiente uma intervenção para resolver o assoreamento da barra local, que classifica como uma “das mais perigosas do país”.

A Câmara de Esposende decidiu ontem pedir ao Ministério do Ambiente uma intervenção “urgente e definitiva” para resolver o problema do assoreamento da barra do concelho, que classifica como “uma das mais perigosas do país”.
Numa proposta assinada pelo presidente, Benjamim Pereira (PS) e aprovada por unanimidade, a Câmara sublinha que a barra tem sido, nas últimas décadas, palco de “inúmeras mortes” de pescadores do concelho, vítimas dos golpes do mar, causados pelo assoreamento.
“A morte destes pescadores está inegavelmente associada às elevadas dificuldades de acesso ao mar, provocados pelos problemas da barra”, lê-se na proposta, que sublinha que esses problemas foram “há muito identificados e reportados às autoridades competentes”.

O texto acrescenta que “sucessivos governos se comprometeram a resolver” os problemas, mas nunca o fizeram.
Uma inação que “dificulta sobremaneira a actividade dos pescadores, colocando-os numa situação de desespero e potencial- mente dramática”.
“Não trabalhando, não auferem rendimentos, daí que muitas vezes arrisquem enfrentar o mar, com as consequências trágicas que se conhecem”, refere ainda a proposta.
Por isso, o município de Esposende decidiu solicitar à tutela “o reconhecimento da extrema relevância de se definir uma solução de carácter definitivo, técnica e cientificamente fundamentada, exequível sob o ponto de vista económico e ambiental, e que permita assegurar que os recorrentes problemas em presença, e que têm perdurado ao longo dos tempos, são solucionados”.

“O município de Esposende entende que se impõe, pois, uma séria e empenhada tentativa de encontrar uma solução, congregando forças de todas as partes interessadas, quer ao nível local, quer ao nível regional e nacional, que permita a implementação urgente de uma intervenção que dê garantias de estabilidade e durabilidade, no sentido de assegurar a salvaguarda da actividade económica local, a segurança de pessoas e bens e a protecção dos valores paisagísticos e ambientais”, vinca a moção.
A Câmara vai ainda solicitar à CIM do Cávado e ao Conselho Regional do Norte que reconheça o interesse estratégico do rio Cávado para a região, bem como a urgência das intervenções solicitadas.
Para o município, todas as intervenções efectuadas nas últimas décadas “apesar de essenciais, revestiram-se de um carácter localizado”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.