Correio do Minho

Braga, sábado

- +
Estruturas em forma de peixe motivam à reciclagem
A artesã barcelense Júlia Côta é finalista da edição 2019  do Prémio Nacional do Artesanato

Estruturas em forma de peixe motivam à reciclagem

Prendas únicas, petiscos e animação no Mercado de Natal

Estruturas em forma de peixe motivam à reciclagem

Alto Minho

2019-09-22 às 06h00

Redacção Redacção

Câmara de Viana do Castelo promoveu a instalação de duas estruturas gigantes em formato de peixe para promover a valorização de resíduos. Os peixes foram instalados na Ecovia Litoral Norte.

Duas estruturas gigantes em ferro e em forma de peixe foram instaladas no troço de Viana do Castelo da ecovia do Litoral Norte para “motivar” quem passa à valorização de resíduos.
Em comunicado, a autarquia liderada por José Maria Costa explicou que os dois recipientes em forma de “peixe” ontem instalados têm três metros de comprimento, dois de altura e um metro de largura.
Uma das estruturas ficou localizada nas imediações da Fortim da Areosa, conhecido localmente como Castelo Velho, e, a outra foi instalada nas imediações do Campo de Jogos do Areosense, também naquela freguesia urbana de Viana do Castelo.

“Os locais de instalação das duas estruturas foram escolhidos tendo em conta o valor cénico do local e também as questões logísticas relacionadas com a recolha dos resíduos depositados, que ficará a cargo dos Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo (SMSBVC), parceiros da iniciativa”.
Os resíduos que forem depositados nos “peixes” serão encaminhados para a Resulima (entidade gestora do aterro sanitário do Vale do Lima e Baixo Cávado), para valorização.
A colocação daquelas estruturas integra “a Estratégia Municipal para a Conservação da Natureza, no âmbito da promoção da literacia ambiental, alertando munícipes e visitantes para a importância de valorizar os resíduos produzidos no diariamente”.

No âmbito daquela estratégia, e segundo dados fornecidos pelo município, quatros vezes por ano, 100 metros de areal da praia do Cabedelo, em Darque, são analisados para estudo dos resíduos marinhos.
Desde 2012 que aquela praia “é monitorizada, integrando um grupo de praias que participou no projecto-piloto sobre Lixo Marinho organizado pela Convenção OSPAR”.
“Em Viana do Castelo, o Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) é a entidade envolvida neste projecto promovido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e este levantamento serve para catalogar os resíduos que aparecem nas praias vianenses, percebendo de onde vêm e em que consistem”.
Ainda segundo a autarquia, “mensalmente, é também promovida uma actividade que conjuga a prática de exercício físico com a recolha de resíduos que o mar transporta até à costa do concelho”. A autarquia tem ainda colaborado com empresas e associações privadas que, no âmbito da sua responsabilidade social e ambiental, juntam colaboradores para ajudar a limpar as praias do concelho.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.