Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
Eurodeputada co-organiza debate sobre a mulher no mundo rural
Percurso dos alunos da UMinho marcado pela “estabilidade”

Eurodeputada co-organiza debate sobre a mulher no mundo rural

“As novas luminárias permitem poupança para novos investimentos”

Eurodeputada co-organiza debate sobre a mulher no mundo rural

Nacional

2019-10-16 às 08h03

Redacção Redacção

Isabel Estrada Carvalhais co-organizou, no Parlamento Europeu, um debate sobre o papel das mulheres no mundo rural. Eurodeputada defende empreendedorismo das mulheres na ruralidade.

O papel das mulheres no mundo rural esteve ontem em debate no Parlamento Europeu, em Bruxelas, numa iniciativa co-organizada por Isabel Estrada Carvalhais. A eurodeputada socialista defendeu que considera “uma enorme mais valia incentivar as mulheres a empreenderem nas áreas rurais, através de formação especializada”.
Isabel Estrada Carvalhais, que no Parlamento Europeu integra o Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D) foi co-anfitriã deste evento, juntamente com a deputada francesa Anne Sander, que integra o grupo do Partido Popular Europeu (PPE) e a finlandesa Elsi Katainen (do grupo S&D), num evento que contou com um vasto painel de especialistas.

A iniciativa assinalou o Dia Internacional da Mulher Rural, que se assinala precisamente a 15 de Outubro, e teve a chancela das confederações COPA COGECA, pretendendo debater o papel das mulheres na garantia da sustentabilidade das famílias e das comunidades rurais, melhorando os meios de subsistência e o bem-estar comum.
A eurodeputada do distrito de Braga realçou que considera fundamental “identificar todos os obstáculos e descobrir as melhores práticas para alterar um contexto actual de grande dificuldade”, acrescentando que é de enorme mais valia “incentivar as mulheres a empreenderem nas áreas rurais, através de formação especializada”.

“Temas como o acesso à educação e à formação profissional são essenciais para o aumento do emprego feminino e para promover a capacitação das mulheres, concorrendo também para a garantia da renovação sustentável na agricultura e para o desenvolvimento sustentável das áreas rurais”, lê-no num comunicado divulgado pela assessoria da eurodpeutada.
A mesma fonte realça que as zonas rurais representam 93% do território da UE, mas apenas 28% da sua população vive nestas áreas.
Isabel Estrada Carvalhais, que integra a Comissão de Agricultura no Parlamento Europeu, realça que “Portugal e o Minho também vivem estas realidades”, afirmando que “é fundamental atrair e reter pessoas qualificadas, combater o envelheci- mento das populações agrícolas, para melhorarmos o rendimento per capita destes territórios”.

Por outro lado, na Europa 35,1% da força de trabalho agrícola é do sexo feminino — o que demonstra que a sua participação é menor que a população activa total — e apenas 30% dos gestores agrícolas são mulheres.
Recorde-se que no âmbito do Dia Internacional da Mulher Rural — realizado pela primeira vez em 2008 — é reconhecida uma importante contribuição das mulheres rurais, para incrementar o progresso da agricultura, melhorando a segurança alimentar, a sustentabilidade familiar e o combate à pobreza.
“Contudo elas enfrentam barreiras estruturais e sociais discriminatórias, que restringem o seu poder de decisão e inibem em larga medida o devido reconhecimento do papel económico tão importante que têm em áreas como a Agricultura”, sublinhou Isabel Estrada Carvalhais.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.