Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Famalicão: Património ganha 1,3 milhões
Visita guiada a obras estruturantes de Viana do Castelo

Famalicão: Património ganha 1,3 milhões

CURAE o seu melhor plano de saúde do corpo e da mente

Vale do Ave

2010-07-21 às 06h00

Redacção Redacção

Famalicão vai receber mais de 1,3 milhões de euros de financiamento para a instalação do novo Arquivo Municipal Alberto Sampaio e reequipamento técnico de som da Casa das Artes.

Fruto das candidaturas apresentadas ao Programa Regional ‘ON.2 - o Novo Norte’, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), o município de Famalicão vai receber mais de 1,3 milhões de euros de financiamento para a concretização de projectos nos sectores da cultura e do património.

O contrato de financiamento foi assinado na Fundação de Serralves, no Porto, entre o município e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN).
O investimento refere-se aos projectos de instalação do novo Arquivo Municipal Alberto Sampaio, na Rua Adriano Pinto Basto, no centro da cidade, e à acção de reequipamento técnico de som da Casa das Artes.

Com a aprovação da candidatura, a autarquia vai avançar com as obras de adaptação da antiga Casa Malheiro, situada no centro da cidade, para acolher o novo arquivo municipal. A obra implica um investimento total de cerca de 1,5 milhões de euros, contando com uma comparticipação na ordem dos 80 por cento, isto é, 1,2 milhões de euros.
De acordo com Armindo Costa, “com o novo projecto pretende-se tornar o arquivo municipal mais acessível e mais próximo da população”.

A Câmara Municipal de Famalicão viu, ainda, aprovada uma candidatura para o reequipamento técnico de som da Casa das Artes, que requer um investimento de perto de 125 mil euros, contando também com uma comparticipação financeira de 80 por cento do valor, cerca de 100 mil euros.

O autarca famalicense, Armindo Costa, mostrou-se muito satisfeito com a aprovação do financiamento, salientando, a importância dos projectos para a cidade de Vila Nova de Famalicão. “São duas obras nas áreas da cultura e do património, que em comum têm o facto de melhorar a oferta de bens e produtos culturais aos famalicenses”, realçou o presidente da câmara.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho