Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Famalicão: SEF deteve duas estrangeiras em bar de alterne por não cumprirem ordem de expulsão
Manuel Fernandes quer ‘Unir para Consolidar’ Centro de Santo Adrião

Famalicão: SEF deteve duas estrangeiras em bar de alterne por não cumprirem ordem de expulsão

Luís Alves mantém-se na luta pelo título

Vale do Ave

2010-04-11 às 17h00

Lusa Lusa

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras deteve, na madrugada de hoje, duas cidadãs estrangeiras no bar de alterne 'Via 14' em Famalicão por não terem cumprido uma ordem judicial de expulsão, disse à Lusa fonte judicial.

A fonte adiantou que as duas mulheres, de nacionalidade brasileira, foram conduzidas ao centro de acolhimento temporário do SEF, no Porto, onde vão permanecer até serem expulsas do país, o que deve acontecer dentro de dias.

No local, o SEF identificou 16 mulheres, cinco portuguesas e 11 estrangeiras, tendo notificado uma outra estrangeira de uma decisão de expulsão que sobre ela pende, por trabalho ilegal em Portugal.

O Serviço notificou, ainda, outra mulher para comparecer na Direção Regional do Norte a fim de tentar esclarecer a legalidade da sua permanência no país.

Na quinta feira, o SEF realizou uma operação de fiscalização em Braga, onde deteve, por permanência irregular em território nacional, dois cidadãos estrangeiros, que se encontravam indocumentados.

Os dois imigrantes, oriundos da Guiné-Bissau estavam na posse de fotocópias de documentos de identificação que não lhes pertenciam, pelo que foram ambos presentes ao Tribunal Judicial de Braga, onde lhes foi decretada como medida de coação a obrigação de apresentações periódicas no SEF.

A operação, realizada nas obras de requalificação em curso na Escola Alberto Sampaio, visou o controlo da situação documental de cidadãos estrangeiros.

No total, foram identificados 125 indivíduos, 17 dos quais de nacionalidade estrangeira.

Foi ainda levantado um processo de contra ordenação a uma das entidades patronais por empregar cidadãos estrangeiros não habilitados a exercer uma atividade profissional subordinada, ilegalidade punida com coimas entre 4720 e 23576 euros.

Estiveram envolvidos nesta operação 11 elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Deixa o teu comentário

Últimas Vale do Ave

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho